Líder da Chute Boxe SP, Diego Lima revela que veto à entrada nos EUA frustra negociações com UFC: ‘Fica uma incerteza’

Publicado em 28/05/2020 por: Mateus Machado
Líder da Chute Boxe SP, Diego Lima revela que veto à entrada nos EUA frustra negociações com UFC: ‘Fica uma incerteza’ Diego Lima, da Chute Boxe SP, falou sobre as consequências do veto a entrada de brasileiros nos EUA (Foto reprodução)

publicidade

Por conta do descontrole dos casos de coronavírus, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, decretou no último domingo (24) a proibição da entrada de pessoas não americanas vindas do Brasil. O decreto, que passou a vigorar às 23h59 de terça-feira (26), pegou de surpresa lutadores e treinadores brasileiros residentes no país e esfriou diversas negociações de combates nas próximas edições do UFC.

“Tomamos um susto com essa notícia. Estávamos muito animados com a volta do UFC e já em conversas avançadas com os matchmakers do evento. Mas agora as negociações deram uma congelada. Fica uma certa incerteza, porque não sabemos o quanto vai durar. Porém, entendo a decisão do Trump, nessa hora cada um tem que cuidar do seu país e do seu povo. Vivemos praticamente uma nova guerra mundial nessa batalha contra o coronavírus”, disse Diego Lima, treinador da Chute Boxe São Paulo.

Líder de umas das principais equipes de MMA do Brasil, Diego revelou que por conta das negociações com o Ultimate, a Chute Boxe SP já estava planejando o retorno à rotina de treinos, interrompidos pela pandemia.

“Nós estávamos conversando para voltar a treinar, justamente por conta do UFC. Mas vou fazer uma nova reunião com meus atletas para decidir quando e como faremos esse retorno. Agora é esperar uma segunda ordem. Torço para que não demore muito. Enquanto isso, temos que manter a calma, organizar os treinos e esperar o que vai ser decidido em relação a esse trânsito internacional”, afirmou Lima.

O treinador também comentou o sétimo lugar de Charles do Bronx na mais recente atualização do ranking dos pesos-leves (até 70kg) do UFC e projetou duelos do seu pupilo contra Conor McGregor ou pelo cinturão da categoria, que hoje está nas mãos de Khabib Nurmagomedov, sendo Justin Gaethje campeão interino.

“O Charles poderia estar melhor posicionado. Ele vem de sete vitórias consecutivas, sem deixar nenhuma nas mãos dos juízes. Já passou da hora do Charles ir para as cabeças e lutar até mesmo pelo próprio cinturão. Pelo que o Do Bronx representa para o UFC, pela história dele, pela quantidade de vitórias e por ser um recordista, prestes a bater mais dois recordes, ele está mais do que credenciado. Pra mim, o Charles já está pronto e deveria lutar contra o Conor McGregor ou pelo título”, concluiu Diego Lima.

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Instagram
Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade