Líder de equipe, Bruno Bastos conta como se reinventou na pandemia e projeta ano do Jiu-Jitsu: ‘Ainda dá para sonhar’

Publicado em 21/05/2020 por: Mateus Machado
Líder de equipe, Bruno Bastos conta como se reinventou na pandemia e projeta ano do Jiu-Jitsu: ‘Ainda dá para sonhar’ Bruno Bastos relatou como tem feito para manter sua equipe ativa em meio à pandemia (Foto arquivo pessoal)

publicidade

Em tempos de pandemia causada pelo novo coronavírus, Bruno Bastos, de 38 anos, teve que se reinventar para manter seu quadro de alunos na Lead BJJ, em Midland, no Texas (EUA). Com o dojo fechado, o faixa-preta começou a comandar suas classes de maneira online, divididas entre crianças e adultos, com transmissão ao vivo e vídeos de estudo de técnicas no Facebook.

Além desse contato online, Bruno também optou por premiar os fiéis alunos que não cancelaram e nem “congelaram” a matrícula com três seminários gratuitos com Xande Ribeiro, Letícia Ribeiro e Jimmy Pedro.

“Durante esse caos que assola o mundo inteiro, eu tive que ser estratégico para levar o melhor para os meus alunos. Aprendi a fazer transmissão online, a mexer em grupos no Facebook e, principalmente, como trabalhar no marketing digital. Então, foi dessa maneira que pude continuar ensinando meus alunos sem perder a qualidade. Conseguimos sanar algumas dúvidas, mesmo estando distantes um do outro. Pudemos perceber, na prática, como o mundo vai funcionar a partir de agora. Vamos dar mais atenção aos mecanismos online para desenvolver um trabalho para os nossos estudantes. Agora, também por conta da paralisação da academia, já consegui fechar três seminários com Alexandre Ribeiro, Letícia Ribeiro e Jimmy, todos gratuitos para os alunos que não cancelaram a matrícula em nossa escola”, contou Bruno.

O experiente faixa-preta também revelou que foi preciso blindar a parte psicológica logo no início da quarentena, ainda mais por ter fechado sua academia depois de menos de três meses em atividade.

“Como qualquer coisa inesperada, a primeira reação foi de frustração. Tive que praticar o que ensino há anos, que é ficar à vontade em situações desfavoráveis. Apesar do mau momento, tive apenas pensamentos positivos em relação a tudo. Eu sempre tive que trabalhar pelos meus sonhos e objetivos, e não seria isso que iria me parar por agora. Logo tomei a atitude de produzir conteúdo online para os meus atletas e faço um trabalho de excelência. Afinal, essa é também uma maneira de os alunos verem como podemos vencer as dificuldades da vida”, revela Bruno Bastos, praticante de Jiu-Jitsu há mais de 20 anos.

Com a temporada de competições da International Brazilian Jiu-Jitsu Federation (IBJJF) parada, Bruno ainda tem fé para o restante do ano: “Tenho fé que aconteçam alguns eventos principais durante esse ano de 2020, mas as organizações dependem de que as academias voltem a funcionar normalmente, sem restrições. Se rolar alguma competição em 2020, nosso foco será no Campeonato Mundial, Mundial Master e Mundial No-Gi. Vamos nos adaptar da melhor maneira possível”, encerrou o casca-grossa.

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Instagram
Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade