Presidente da FKBERJ admite dificuldades causadas pela Covid-19 e adota cautela ao falar sobre um retorno às atividades

Publicado em 06/05/2020 por: Mateus Machado
Presidente da FKBERJ admite dificuldades causadas pela Covid-19 e adota cautela ao falar sobre um retorno às atividades Capitulino Gomes, presidente da FKBERJ, falou sobre os impactos causados pelo coronavírus (Foto reprodução)

publicidade

* Assim como diversas organizações relacionadas ao mundo da luta, a FKBERJ (Federação de Kickboxing do Estado do Rio de Janeiro) precisou cancelar e adiar eventos de grande relevância em seu calendário esportivo por conta da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), que atinge diversos estados do Brasil, incluindo o Rio de Janeiro, que é o segundo no ranking em número de casos e mortes em razão da Covid-19, ficando atrás apenas de São Paulo.

Marcados para o início do ano, o “Oscar do Kickboxing” e a Taça Guanabara precisaram ser adiados, e outros dois eventos foram cancelados, a Taça José Antônio Ferreira Machado e o Intermunicipal de Kickboxing. Presidente da FKBERJ, Capitulino Gomes falou sobre a situação e disse que a intenção da entidade é realizar a Taça Guanabara em julho. A competição, vale ressaltar, serve como seletiva para o Campeonato Brasileiro.

“É muito preocupante essa questão da quarentena causada pelo coronavírus, porque a gente não sabe quando vai poder retornar, e para realizarmos um evento no Rio de Janeiro estamos encontrando uma grande dificuldade, assim como a seletiva, que inicialmente marcamos para março, adiamos para maio e agora remarcamos para julho. A gente ainda não tem noção de quando será possível realizar eventos. Como realizar um evento em julho se as academias e projetos sociais não voltarem? A gente está com muita dificuldade e o impacto é enorme. Já cancelamos dois eventos, a Taça José Antônio Ferreira Machado e o Intermunicipal não vão ser realizados no ano de 2020. Agora estamos na expectativa para poder realizar a seletiva, mas ela só vai acontecer com o retorno das aulas nas academias e projetos”, reiterou o presidente.

Mesmo com a questão do coronavírus, alguns setores buscam maneiras de retomar suas atividades seguindo as medidas de prevenção recomendadas pelos órgãos de saúde. Ao ser questionado sobre um possível retorno envolvendo o Kickboxing no Rio, Capitulino ressaltou que o momento é de cautela.

“A gente precisa estar preparado para uma possível flexibilização, por isso estamos conversando com a Confederação Brasileira de Kickboxing sobre como será o retorno das aulas. Mas, para isso, precisamos também entender as normas que serão adotadas pelo Governo do Estado e o Governo Federal, para podermos passar as informações para os professores e presidentes de associações”, concluiu.

* Por Mateus Machado

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Instagram
Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade