Animado pra trilogia com Shogun, Minotouro projeta duelo: ‘Respeito ele, mas vou buscar o nocaute’

Publicado em 10/06/2020 por: Mateus Machado
Animado pra trilogia com Shogun, Minotouro projeta duelo: ‘Respeito ele, mas vou buscar o nocaute’ Shogun e Minotouro vão se enfrentar pela terceira vez (Foto reprodução MMA Fighting)

publicidade

* No auge de seus 44 anos, Rogério Minotouro segue com a motivação em alta, agora com um ingrediente a mais. Antes agendada para o mês de maio, em São Paulo, sua trilogia contra Maurício Shogun agora foi remarcada para o dia 25 de julho, na “Ilha da Luta”, em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos. Até o momento, o placar é de 2 a 0 para o curitibano, com vitórias em 2005, pelo extinto PRIDE, e em 2015, no UFC 190, ambas por decisão dos jurados.

* Trilogia entre Shogun e Rogério Minotouro é remarcada para julho, na ‘ilha da luta’; confira

No entanto, o revés mais recente ainda está “engasgado” em Minotouro. Em clara discordância com a decisão dos árbitros na época, o casca-grossa considera que saiu vencedor na ocasião e isso o motivou ainda mais a querer uma terceira luta contra Shogun. Em entrevista à TATAME, Rogério falou sobre sua expectativa para a trilogia e confirmou que a tendência, de fato, é que o combate seja o seu último no MMA profissional.

“Eu estou pensando em ser a minha última luta. Foi uma coisa que já até comentei… Dificilmente eu vou encarar uma outra luta, mas ao mesmo tempo eu não sei, é bem difícil falar. Para um lutador, encerrar a carreira é muito complicado, mas acho que está chegando minha hora. Ninguém quer encerrar a carreira perdendo, né? Ainda mais com essa luta, que tem um valor muito especial para mim. Poderia ser um duelo contra outro atleta, mas aí perderia todo o significado. Eu ganhei a segunda luta (contra o Shogun), todo mundo viu isso. A primeira luta foi pau a pau, poderia ter ido para qualquer um, mas a segunda luta eu não perdi, tenho consciência disso. Agora é o tira-teima, quero encerrar a carreira com essa vitória”, disse o lutador, que possui um cartel com 23 vitórias e nove derrotas.

No bate-papo, Rogério Minotouro falou ainda sobre sua preparação em meio à quarentena para o duelo diante de Shogun, sua preocupação em estar preparado para lutar em bom nível em todas as áreas da luta, a oportunidade de entrar em ação na tão comentada Ilha da Luta, entre outros assuntos.

Confira a entrevista completa: 

– Preparação para a trilogia contra Maurício Shogun 

Os treinos estão muito bons, já dei uma acelerada agora, já comecei a fazer preparação com sparring, escolhi um cara de confiança, o Tratorzão, também fiz uns sparrings com o Borrachinha, que é um lutador que tá muito bem e me ajudou bastante, tem o Rafael Feijão e uma galera muito boa que está me acompanhando. O Shogun às vezes costuma puxar a luta para baixo, então eu preciso estar pronto para tudo, treinando todas as áreas para evitar qualquer surpresa. Como essa é uma luta muito importante para mim, e acredito que para ele também, estou concentrando 100% das minhas forças para esse combate. Eu já vinha treinando bastante por conta do nosso projeto de aulas à distância da Team Nogueira, onde eu estava ministrando aulas online e também fazendo muitas. Isso foi muito importante para me manter bem, em forma, e recebi até elogios quando comecei a me preparar mais para essa luta.

– Foco em estar preparado para lutar em todas as áreas 

Eu tenho que estar focado em todas as áreas da luta, porque ele pode tentar de tudo. Já senti que ele gosta de trocar, mas de uma hora para outra, gosta de botar para baixo, derrubar. Ele é um cara forte, que bate pesado, então tenho que estar bem consciente sobre como a luta pode se desenrolar.

– Oportunidade de lutar na tão comentada ‘ilha da luta’

O projeto que o UFC desenvolveu para a retomada dos eventos foi incrível. O fato deles estarem promovendo eventos, testando todos os lutadores, fazendo tudo isso, vai fazer com que outros eventos tomem a mesma atitude e, aos poucos, retomem suas atividades também, com toda a segurança necessária. Estou muito grato por fazer parte de uma empresa como o UFC, que sempre foi meu sonho, e também de fazer parte de um momento histórico como esse, de lutar nessa ilha da luta, isso é fazer parte da história. É uma logística impressionante por parte deles, uma organização incrível. Muito animado para lutar num card como esse.

– Aposentadoria após a luta contra Shogun

Eu estou pensando em ser a minha última luta. Foi uma coisa que já até comentei… Dificilmente eu vou encarar uma outra luta, mas ao mesmo tempo eu não sei, é bem difícil falar. Para um lutador, encerrar a carreira é muito complicado, mas acho que está chegando minha hora.

– Importância da trilogia contra Shogun

Ninguém quer encerrar a carreira perdendo, né? Ainda mais com essa luta, que tem um valor muito especial para mim. Poderia ser um duelo contra outro atleta, mas aí perderia todo o significado. Eu ganhei a segunda luta (contra o Shogun), todo mundo viu isso. A primeira luta foi pau a pau, poderia ter ido para qualquer um, mas a segunda luta eu não perdi, tenho consciência disso. Agora é o tira-teima, quero encerrar a carreira com essa vitória.

– Busca pelo nocaute

Eu quero o nocaute, vou em busca disso, não queria ganhar essa luta por pontos. Respeito ele, mas vou tentar o nocaute. Minhas lutas contra ele são assim, é briga, trocação de qualidade. Ele é um cara que vai pra cima e eu também, só sai lutão (risos). É certeza de trocação e luta de alto nível. Podem esperar uma grande luta.

* Por Mateus Machado 

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade