Após desistência no UFC Vegas 3, lutador absolve treinador Drysdale e avisa: ‘Fez o que eu espero dele’

Publicado em 25/06/2020 por: Mateus Machado
Após desistência no UFC Vegas 3, lutador absolve treinador Drysdale e avisa: ‘Fez o que eu espero dele’ Lutador Max Rohskopf absolveu seu treinador de qualquer culpa após polêmica no UFC Vegas 3 (Foto reprodução ESPN)

publicidade

Realizado no último sábado (20), em Las Vegas (EUA), o UFC Vegas 3 ficou marcado por uma grande polêmica. Fazendo a sua estreia pela organização, Max Rohskopf teve pela frente Austin Hubbard no card principal e chegou a ter uma boa atuação no primeiro round, no entanto, no assalto seguinte, foi castigado pelo adversário no chão e, no intervalo para o último round, avisou repetidas vezes ao seu treinador, Robert Drysdale, que não gostaria de voltar para o combate.

Drysdale – ex-lutador de MMA e renomado faixa-preta de Jiu-Jitsu – então, insistiu para que ele continuasse no duelo, mas o árbitro e um representante da Comissão Atlética de Nevada questionaram Rohskopf se ele gostaria de prosseguir, e recebendo uma resposta negativa por parte do peso-leve, encerraram a luta.

Depois disso, imagens com o diálogo entre o lutador e o treinador tiveram grande repercussão, com Drysdale recebendo muitas críticas por parte da mídia e dos fãs de MMA pelo fato de insistir para que Max continuasse no combate. A polêmica fez com que Rohskopf se pronunciasse a respeito, e na última quarta-feira (24), em entrevista ao site MMA Fighting, o americano, de 25 anos, justificou que sua decisão foi tomada por conta de um “colapso mental”, tirando qualquer responsabilidade do acontecido do treinador.

“Fiz isso minha vida toda. Eu me autossabotei. Até quando eu fazia Wrestling na escola, eu era o melhor do estado e terminei em terceiro lugar porque me autossabotei. Eu era um dos melhores do país na faculdade, mas nunca fui All-American, porque eu ficava dizendo para mim mesmo, por algum motivo, que eu não merecia. Isso é exatamente o que eu fiz na minha luta com o Austin (Hubbard). A m*** ficou difícil, e eu olhei para meu treinador e disse: ‘Não quero mais estar aqui’. Não porque eu não quisesse, mas porque achava que não merecia”, revelou Max, fazendo questão de defender Robert das críticas que vem recebendo.

“Aquele homem (Robert Drysdale) me deu um lugar para morar quando eu precisava, para eu não precisar morar no meu carro. Eu não queria nada com o MMA até bater na porta dele e pedir: ‘Cara, preciso de ajuda e quero que você me treine’. Ele sempre fez de tudo por mim. (…) Eu estou pagando ele e é isso que eu queria que ele fizesse. É isso que eu espero dele e, se eu estivesse no córner de outra pessoa, teria feito o mesmo. Não tem discussão. Rob fez a coisa certa, e sempre foi correto comigo em toda nossa caminhada”, elogiou o lutador, que por fim, disse que espera receber uma nova oportunidade de lutar pelo Ultimate.

“Fui um lutador minha vida inteira e tudo o que sei tive de aprender de uma maneira difícil, porque sou cabeça dura pra cara***. Sou grato ao UFC por me dar uma oportunidade e aguardo por uma próxima. Estou grato ao Austin. Falo para as crianças que eu treino: ‘Grandes coisas não acontecem através de coisas fáceis’. Essa me*** é difícil pra cara***. Depende de mim pegar essas lições e fazer bom uso”, concluiu.

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Instagram
Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade