Capoeira revela torcida por Durinho de olho em disputa de título e celebra renovação de contrato antes do UFC 251

Publicado em 25/06/2020 por: Diogo Santarém
Capoeira revela torcida por Durinho de olho em disputa de título e celebra renovação de contrato antes do UFC 251 Elizeu Capoeira renovou contrato com o UFC por mais quatro lutas (Foto reprodução Instagram @elizeucapoeira)

publicidade

* Após retornar ao caminho das vitórias no último mês de março, quando derrotou o russo Alexey Kunchenko por decisão unânime no UFC Brasília, o peso-meio-médio Elizeu Capoeira terá outra pedreira pela frente. O brasileiro foi escalado para enfrentar o também russo Muslim Salikhov no dia 11 de julho, pelo UFC 251, em evento que vai marcar a aguardada estreia da “ilha da luta”, em Abu Dhabi (EAU).

A grande novidade para o duelo fica por conta da renovação de contrato de Elizeu com o UFC. Desde 2015 na organização, ele viu seu vínculo terminar após a luta em Brasília, porém, depois de alguma negociação, renovou por mais quatro combates, o primeiro deles contra Salikhov. Em entrevista à TATAME através de uma live, Capoeira falou sobre o novo acordo e, apesar de esperar mais da parte financeira, celebrou.

“A minha campanha dentro do evento é muito boa, então claro que busco uma valorização… Não posso te dizer que cheguei no que desejava, mas pelo menos vou lutar. Eu gosto disso, de lutar, então quero mostrar o meu trabalho independente do contrato. Está bem difícil lutar no momento, então estou feliz demais por ter renovado com o UFC por mais quatro lutas. Agora é trabalhar”, disse o meio-médio, que prosseguiu:

“Meu objetivo sempre foi renovar com o UFC, então essa era a prioridade. Eu gosto de lutar no UFC, me sinto bem, então a primeira e única opção era voltar a lutar o mais rápido possível”, contou Capeira, que soma oito triunfos e duas derrotas em dez combates na franquia presidida por Dana White.

Para o duelo em questão, Capoeira saiu de Francisco Beltrão (PR), onde reside e vinha mantando a forma na sua academia, para realizar a reta final do camp em Curitiba, na equipe CM System. Com a polêmica sobre a reabertura das academias de luta em alta, o atleta destacou o que mais sente falta na preparação.

“Com certeza (faz falta a equipe completa). Não ter os sparrings é o que faz mais falta, porque na verdade sem esse tipo de treino, não tem como você chegar nos 100%. Mas o principal agora é manter as partes física e técnica em dia. Estou ansioso, mas feliz por voltar. Ainda não sei nada (sobre a ‘ilha da luta’), só sei que eu vou lutar. Mas de qualquer forma, pensamento positivo. É chegar lá e dar o meu melhor”.

Sobre o russo Muslim Salikhov, Capoeira comentou: “É um cara versátil, com origem do Sanda (Boxe chinês), e considerado um dos caras mais respeitados fora da China, então estou me preparando ao máximo. Ele faz lutas boas, é bem estratégico, então espero um combate sensacional”, projetou o brasileiro.

Entre diversos outros assuntos, Elizeu ainda revelou seu desejo por um confronto contra Neil Magny – 15º colocado no ranking meio-médio – e que torcerá pelo compatriota Gilbert Durinho na luta principal do UFC 251, em disputa de cinturão contra o campeão da divisão Kamaru Usman.

“É na minha categoria, então estarei acompanhando e torcendo para o Durinho. Ele ganhando, vai fazer história, e acho que ele tem grandes chances de nocautear o Usman, ou se for pra baixo, usar o chão dele que é incrível. Gosto muito dele, sempre trocamos ideias nos eventos, então minha energia é toda para ele. (…) Cara, isso seria excepcional (disputa de cinturão contra o Durinho). Independente de sermos da mesma nacionalidade, seriam dois brasileiros no ápice. Com certeza eu sonho com um momento assim”.

Confira abaixo o vídeo da entrevista completa com Elizeu Capoeira:

* Por Diogo Santarém

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade