Com reabertura das academias cada vez mais perto, Dr. Rafael Fonseca apresenta 11 dicas valiosas para evitar contágio

Publicado em 06/06/2020 por: Yago Redua
Com reabertura das academias cada vez mais perto, Dr. Rafael Fonseca apresenta 11 dicas valiosas para evitar contágio Dr. Rafael Fonseca deu importante dicas para quem vai reabrir a academia (Foto reprodução)

publicidade

Em muitos estados brasileiros, inicia-se o processo de flexibilização do isolamento social que foi posto para combater ao novo coronavírus. Desta maneira, academias de artes marciais já reabriram pelo país ou começam a se preparar para retomar as atividades de aulas e treinos.

O Dr. Rafael Fonseca, ortopedista e médico do esporte, elaborou e enviou à TATAME, 11 dicas para quem vai reabrir a academia. Apesar de achar que, neste momento, o ideal seria apenas para fins de saúde e não estética, o médico elencou cuidados importantes que devem ser tomados por gestores.

Confira abaixo:

1 – Orientar os alunos a chegarem no horário previsto a fim de evitar aglomerações na sala de espera;

2 – Abra as janelas do seu espaço várias vezes ao dia, buscando uma melhor circulação do ar;

3 – Deixe avisos em sua recepção solicitando que ao chegar às mãos devem ser lavadas, e ao ir embora também;

4 – Retire revistas que possam ser compartilhadas entres as pessoas, muito comum nas recepções;

5 – Bloquear uso de bebedouros, mesmo que seja utilizado copo descartável, afinal de contas deverá ser acionado o comando para a água disparar. Indicado é cada pessoa levar a sua garrafinha;

6 – Higienizar as maçanetas da academia com álcool 70% e orientar os alunos a evitarem tocar nelas. Caso o façam, ter álcool gel à mão para a correta higiene das mãos;

7 – Proibir o uso do celular durante o atendimento, caso o manuseio no aparelho seja indispensável, higienizá-lo antes e após o uso. Ao retornar a aula, as mãos deverão ser novamente higienizadas com álcool 70% ou água e sabão;

8 – Após cada uso, estabelecer uma rotina de higienização dos materiais, equipamentos e aparelhos com álcool 70%, preferencialmente com material que possa ser descartado ao final do dia;

9 – Proibir atividades de grupos mesmo que terapêuticos, garanta que haja espaço de ao menos um metro e meio entre as pessoas, tendo o cuidado de higienizar com álcool 70% os equipamentos que cada paciente utilizou, antes que outro o faça;

10 – Realizar controle de temperatura na entrada de todos os pacientes, bem como de todos os funcionários e profissionais envolvidos

11 – Desmarcar treinos caso você ou o seu aluno apresentem sintomas de tosse, coriza, febre e falta de ar.

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Instagram
Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade