Cris Cyborg adia estreia no Boxe por conta da pandemia, mas garante: ‘Venho treinando muito para esse momento’

Publicado em 30/06/2020 por: Diogo Santarém
Cris Cyborg adia estreia no Boxe por conta da pandemia, mas garante: ‘Venho treinando muito para esse momento’

publicidade

* Após completar o “Grand Slam” do MMA em janeiro deste ano, quando conquistou o cinturão peso-pena do Bellator e passou a ostentar títulos de quatro das principais organizações do mundo (Strikeforce, Invicta FC, UFC e Bellator), Cris Cyborg agora quer ir em busca de outro sonho: o Boxe profissional.

Em entrevista à TATAME, a brasileira falou que planejava estrear na modalidade em julho deste ano – apesar de não ter sua adversária definida -, porém, precisou alterar a programação por conta da pandemia.

“Antes da pandemia eu estava me preparando para fazer uma luta de Boxe, em julho, mas agora ficou mais pra frente. Minha próxima luta deve ser de MMA e, depois, de Boxe. Estou animada. Eu gosto de desafios, venho treinando bastante para esse momento e é uma nova oportunidade. Não tem adversária definida ainda, estou buscando isso com a minha equipe, mas tenho uma rivalidade com a campeã Cecilia Braekhus. Rivalidade boa, de admiração (risos)”, contou Cyborg, que também aproveitou para revelar admiração por Mike Tyson, ex-campeão mundial peso-pesado e lenda do Boxe, que está prestes a retornar aos ringues.

“Na verdade, as primeiras lutas que eu assisti na minha vida, antes de pensar em ser lutadora, foram com o meu pai, lutas do Mike Tyson. E agora vendo ele treinando, se preparando para voltar ao Boxe, todo mundo querendo enfrentá-lo, é muito bacana. Espero que essa volta dele realmente aconteça”.

Por fim, a atual campeã do Bellator relembrou sua trajetória no esporte, citando o sonho que ainda tem de se aventurar no Boxe: “Tudo o que eu passei na minha carreira, sempre mostrei que não se pode desistir. Eu, na verdade, nunca pensei que ia conquistar tudo o que eu conquistei, mas sempre fiz de coração. Quando eu comecei a lutar, nem cinturão feminino tinha, e naquela época eu tinha fé que tudo o que aconteceu realmente iria acontecer. Então, o eu quero agora é inspirar mais mulheres a lutarem, buscarem seus sonhos. Ainda não penso em parar de lutar, tenho muitas coisas para conquistar, quem sabe um cinturão de Boxe. Só em fazer um luta de Boxe já seria um sonho realizado”, completou a casca-grossa.

Confira a entrevista com Cris Cyborg na íntegra:

* Por Diogo Santarém

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade