Dias após anunciar sua aposentadoria do MMA pela terceira vez, Conor McGregor segue recebendo desafios de diversos lutadores do Ultimate. Inicialmente, Anderson Silva, através das redes sociais, convidou o irlandês para uma superluta em peso-casado (até 80kg). O ex-campeão peso-pena e leve do UFC teve como primeira reação aceitar o duelo, mas depois, já tendo anunciado seu afastamento do esporte, deu a entender que não toparia um combate diante do ex-detentor do cinturão peso-médio. Agora, foi a vez de outro brasileiro se mostrar disposto a encarar “The Notorious”.

Trata-se de Rafael dos Anjos, que não luta desde janeiro, quando foi derrotado por Michael Chiesa na decisão unânime. Através de suas redes sociais, o ex-campeão peso-leve do UFC provocou McGregor e voltou a desafiá-lo: “Chega de ‘se’. Vamos fazer isso acontecer”, escreveu Dos Anjos, colocando a foto de sua encarada com Conor, em coletiva de imprensa realizada em 2016. Logo depois, em nova publicação em sua conta oficial no Twitter, Rafael disse: “Tragam ‘El Chapo’ de volta e vamos resolver isso”, afirmou, se referindo à vestimenta do irlandês na foto, em alusão ao traficante internacional Joaquín “El Chapo” Guzmán.

Dos Anjos e Conor McGregor estiveram muito próximos de se enfrentar em 2016. Na época, o brasileiro era campeão peso-leve do UFC e o irlandês detentor do título dos penas. O duelo aconteceria em março daquele ano, todavia, faltando duas semanas para o confronto, o brasileiro quebrou o pé e acabou tendo que sair do card, sendo substituído por Nate Diaz. O americano, então, superou Conor, que meses depois, teve sua revanche contra Nate, saindo vencedor na segunda luta. Já Dos Anjos voltou ao cage em julho, quando enfrentou Eddie Alvarez e acabou nocauteado, perdendo o cinturão peso-leve da franquia.

Dois anos depois, o Ultimate tentou, pela segunda vez, marcar o combate. O brasileiro, já como meio-médio, enfrentaria Conor McGregor pelo título interino da categoria, em card que seria realizado, provavelmente, no Rio de Janeiro. Entretanto, logo depois, em uma passagem por Nova York (EUA), o irlandês protagonizou uma confusão que envolveu um ataque a um ônibus onde estavam Khabib Nurmagomedov e outros lutadores do UFC. Com isso, Conor acabou sendo preso e a organização foi forçada a alterar seus planos.