Em ‘guerra de palavras’ com Dana, Jones revela que vai abrir mão do seu título no UFC: ‘Vim, vi e venci’

Publicado em 01/06/2020 por: Mateus Machado
Em ‘guerra de palavras’ com Dana, Jones revela que vai abrir mão do seu título no UFC: ‘Vim, vi e venci’ Jon Jones aceitou desafio lançado pela lenda Mike Tyson (Foto reprodução Instagram)

publicidade

A tensão entre Jon Jones e Dana White ganhou novos e importantes capítulos no último final de semana. Atual campeão meio-pesado do Ultimate, o lutador utilizou suas redes sociais no último domingo (31) para comunicar que vai abrir mão de seu título, após “trocar farpas” com o presidente da organização em meio à uma negociação para subir à divisão dos pesados visando um duelo contra Francis Ngannou.

* Jones diz que encerrou negociação por luta contra Francis Ngannou: ‘Ouvi um não seco e direto’

Através de sua conta oficial no Twitter, “Bones” chegou desafiar o mandatário a liberá-lo de seu contrato com o UFC. Logo depois, em nova postagem, Jon anunciou que deixaria o título meio-pesado vago, sugerindo na sequência um duelo entre Dominick Reyes e Jan Blachowicz pelo cinturão.

* Jon Jones nega ‘quantia absurda’ para lutar com Ngannou e chama Dana White de ‘mentiroso’

“Reyes x Jan (Blachowicz) pelo título mundial do peso-meio-pesado do UFC. Neste momento, não tenho nada a ganhar de verdade enfrentando qualquer um deles. Me avisem se vocês quiserem marcar uma data em 2021 para aquela luta contra Izzy. Quem sabe vocês já estarão dispostos a pagar lá”, publicou Jones, dando a entender que seu retorno seria em um duelo contra Israel Adesanya, atual campeão peso-médio, com quem vem trocando provocações desde o ano passado.

Na sequência, um seguidor do atleta o questionou se a declaração, de fato, significava que ele estava abrindo mão do título meio-pesado, e Jones respondeu de maneira afirmativa. Em outro post, o lutador escreveu “Bones fora”, e em outra publicação, disse: “Vim, vi e venci ao título do peso-meio-pesado”, em alusão a frase dita pelo general romano Júlio César.

Dana White volta a rebater declarações de Jon Jones

O clima entre Dana White e Jon Jones já havia esquentado no último sábado (30), quando, em entrevista coletiva após o UFC on ESPN 9, o presidente do Ultimate afirmou que o lutador havia se recusado a ver os números que seu advogado havia mostrado para um possível duelo contra Francis Ngannou, dando a entender que “Bones” estava somente interessado em exigir o seu próprio valor.

“Ser o maior de todos os tempos não significa que você vai ganhar 30 milhões de dólares. Ser capaz de vender faz isso. Jon Jones fez muito estrago a si mesmo, e num dos tweets ele veio dizer que eu manchei a imagem dele. Eu manchei? Você fez isso a si mesmo. Meu advogado lhe disse: ‘Posso mostrar para você os números’, e ele respondeu: “Não me importo quais são os números. Eu quero o que eu quero e é assim’. Não é assim que funciona. Por que vocês não voltam e dizem para seus chefes: ‘não me importa o quanto essa empresa ganhe, quero este salário’. Vamos ver se isso dá certo” explicou o mandatário, que voltou a afirmar que não estava mentindo sobre o tema e chegou a dizer que Jon Jones poderia ter se tornado o LeBron James do MMA, dando a entender que o lutador não atingiu esse patamar por conta das suas polêmicas nos últimos anos.

“Em quem vocês acreditam? Depende de vocês. O que eu ganho mentindo? Por que eu mentiria? Não importa. Ele está nervoso agora. Jon teve uma boa conversa com meu advogado, eles têm uma boa relação, mas é assim mesmo. Eu realmente não me importo, para ser sincero. Eu e Jon Jones sempre fomos assim, sempre olho para o que Jon Jones poderia ter sido. Ele poderia ter sido o LeBron James deste esporte, poderia ter sido literalmente tão grande assim. Ele exigir 15 milhões, 20 milhões, 30 milhões… É loucura. Ele pode dizer o que quiser publicamente, é seu direito aqui na América. E quando ele quiser vir lutar, ele pode”, concluiu Dana.

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Instagram
Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade