* Invicto no Boxe profissional e ranqueado nas quatro principais organizações mundiais da modalidade, Esquiva Falcão se aproxima, a cada luta, de uma disputa de cinturão. Em conversa com a TATAME durante uma live no Instagram, o medalhista olímpico nos Jogos de Londres, em 2012, disse que a pandemia do novo coronavírus atrapalhou seus planos, mas que deve retornar ainda em 2020 e lutar pelo título em 2021.

“Eu ia lutar pelo cinturão na China, mas a pandemia está sendo uma adversária, porque conseguiu cancelar a minha luta (risos). Acredito que esse ano tenha que fazer uma luta, acho que não pelo cinturão, porque estou há muito tempo parado. Mas no primeiro semestre de 2021, a ideia é lutar pelo cinturão. Não deve passar disso, não”, projetou o atleta de 30 anos, que tem 18 nocautes na carreira.

No ranking da IBF (International Boxing Federation), Esquiva aparece dentro do Top 5. O campeão da divisão dos meio-médios na federação é o cazaque Gennady Golovkin, e o brasileiro fez uma análise do “GGG”.

“Eu estou ranqueado nas quatro principais federações, mas na IBF é a que eu estou mais próximo (de disputar o título). O campeão é o ‘Triple G’. Ele está com uma idade avançadinha (38 anos), já. Tem um jogo que não se movimenta muito, mas é muito forte. Acho que seria um bom combate pra mim. Acho que eu venceria essa luta por pontos”, analisou Falcão, que seguiu comentando sobre um eventual duelo:

“Eu acompanho todas as lutas dele e vejo que, a cada ano que passa, ele está caindo de rendimento. Ele não tem mais aquela reação que tinha, a precisão, potência nos golpes, não tem mais o movimento também. Não era muito movimento, mas caiu bastante. Se ele pegar o Esquiva Falcão rápido, se movendo, trabalhando bastante os movimentos e a linha de cintura, acho que ele não aguentaria, não”, concluiu.

Confira abaixo a entrevista completa com Esquiva Falcão:

https://www.instagram.com/tv/CBUTb4XpIKM/

* Por Yago Rédua