Companheiro de treinos de Durinho, Usman muda de cidade e altera rotina para disputa de cinturão com brasileiro

Publicado em 24/06/2020 por: Mateus Machado
Companheiro de treinos de Durinho, Usman muda de cidade e altera rotina para disputa de cinturão com brasileiro Kamaru Usman se mudou para Denver visando a luta contra Gilbert Durinho (Foto reprodução Instagram @gilbert_burns)

publicidade

Atual campeão meio-médio do Ultimate, Kamaru Usman precisou mudar toda sua rotina de treinos para o duelo contra Gilbert Durinho, que vai acontecer no próximo dia 11 de julho, na luta principal do UFC 251, na ilha de Yas, em Abu Dhabi, Emirados Árabes Unidos. Isso porque o nigeriano é amigo pessoal do brasileiro e, por anos, foi parceiro de treinos do faixa-preta de Jiu-Jitsu. Além disso, Usman já esteve presente no córner de Durinho em alguns combates ao longo dos últimos anos.

Agora, com disputa de título marcada justamente contra Durinho, o detentor do cinturão meio-médio optou por mudar seu camp da Flórida (EUA) – onde se manteve por oito anos – para Denver, no Colorado, onde passará a treinar com Trevor Wittman – treinador de nomes como Justin Gaethje e Rose Namajunas -, Jorge Santiago, seu irmão e, provavelmente, o próprio Gaethje, um dos principais nomes da divisão peso leve.

“A Flórida foi minha base por muito tempo, mas você cresce a partir daí. Nós sempre tivemos muitos caras, alguns dos melhores parceiros de treino e grandes treinadores. Mas eu queria uma atenção mais específica neste momento da minha carreira, alguém para falar: ‘Você vai vir aqui dessa vez e trabalhar essa habilidade e treino em particular’. É muito duro fazer isso quando você tem 40 ou 50 caras que também precisam de atenção”, disse o campeão nigeriano em entrevista à ESPN americana.

Kamaru Usman e Gilbert Durinho treinaram juntos por anos, mais recentemente na equipe Sanford MMA, sob o comando do treinador Henri Hooft. A partir do momento em que o brasileiro subiu de categoria e foi contabilizando vitórias, o campeão teve a noção de que a probabilidade de enfrentá-lo seria grande, o que o levou a tomar a decisão de mudar de ares. Hooft, vale ressaltar, também se recusou a treinar os dois lutadores para o combate em questão, em uma forma de se manter “neutro” entre seus pupilos.

“Eu, eventualmente, teria que mudar as coisas de qualquer maneira. Nós tivemos muitos meio-médios na academia. Em algum momento, quando você está treinando com esses caras diariamente e é o campeão do mundo, esses caras te conhecem por dentro e por fora, e se eles forem ficando melhor um dia, eles estarão sedentos, pensando que é a hora deles. Uma pequena separação disso é uma boa. Isso mantém o elemento surpresa, porque esses caras acham que conhecem você”, concluiu Usman, que vem de 11 vitórias seguidas.

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade