A polêmica envolvendo a demora – ou não – na interrupção por parte de Herb Dean na luta entre Francisco Massaranduba e Jai Herbert, no último sábado (25), pelo UFC on ESPN 14, segue rendendo nos bastidores. No terceiro assalto do combate, o brasileiro acertou um potente golpe no rosto do inglês, que foi ao chão quase nocauteado. Massaranduba, então, aguardou alguns segundos para ir pra cima, provavelmente esperando que o árbitro interrompesse o confronto, o que não aconteceu, e o atleta do Piauí precisou aplicar alguns golpes no ground and pound até a intervenção.

A não interrupção da luta no ato pelo árbitro provocou insatisfação de Dan Hardy e Paul Felder, que estavam à beira do octógono fazendo a transmissão oficial do evento. Hardy, ex-lutador do UFC e atualmente comentarista, gritou no momento do nocaute pedindo para Herb Dean interromper a luta assim que Jai Herbert recebeu o primeiro soco e caiu, aparentemente, inconsciente no octógono.

Após o evento, Hardy, que foi lutador de MMA e atuou no UFC entre 2008 e 2012, comentou no Instagram de forma mais esclarecida sobre o polêmico episódio, no entanto, sem citar o nome de Herb Dean.

“Eu amo o MMA. Às vezes, ele não me ama de volta, mas tudo bem. Independentemente disso, sempre farei tudo ao meu alcance para protegê-lo e aqueles que se dedicam a ele. Às vezes, você pode discordar de mim, e tudo bem também. Eu sempre vou dizer o que penso, e isso sempre será respaldado pelo que sinto em meu coração. Se você entende o que é preciso para chegar lá, entende a minha paixão e raiva quando vejo um lutador ser deixado sem proteção. Não é a primeira vez que isso acontece, e duas vezes em uma noite é uma negligência clara, na minha opinião. O trabalho dos árbitros é mais importante do que qualquer outra pessoa naquela arena. Cabe a eles proteger os lutadores de se machucarem seriamente”, escreveu Hardy.

“Você pode ver apenas lutadores do UFC lá, mas eu vejo amigos, companheiros de equipe, filhos, filhas, mães e pais, competindo no esporte que eles amam. Quando cometo um erro, eu pareço idiota na TV ao vivo. Quando um árbitro comete um erro, as pessoas ficam vulneráveis ​​e podem ser seriamente feridas. Isso pode mudar uma vida, e todos temos alguém para quem voltar pra casa, que nos ama e quer inteiros. Obrigado pelas palavras e mensagens gentis que recebi. Estou verdadeiramente agradecido”, completou.

Na sequência, foi a vez de Herb Dean se defender das “acusações”. Também sem mencionar o nome de Dan Hardy, o árbitro, através de um vídeo postado em sua conta oficial no Instagram, ressaltou que o pedido para interromper o combate poderia ser feito somente pelo médico responsável pela integridade física dos atletas no evento ou por um dos córneres dos lutadores. O profissional ainda afirmou que a manifestação do comentarista naquele momento poderia ter atrapalhado o andamento do duelo.

“O que eu quero abordar agora é que, durante a luta, alguém gritou: ‘Pare a luta!’ Isso é muito interessante, porque lá só haviam profissionais e nenhum fã na arena. Todo mundo tem um trabalho lá, todo mundo sabe qual é o seu trabalho, e eles têm tarefas específicas. Eu tenho o trabalho de arbitrar a luta, e um dos meus deveres é parar a luta quando o lutador está sofrendo muitos danos. Há duas pessoas que estão autorizadas a me aconselhar durante isso, para talvez gritar essas palavras: ‘Pare a luta’. O primeiro é o médico. Temos um médico do local que sabe mais sobre o corpo humano do que eu. Ele está lá para me dar conselhos. Se ele não conseguir chamar minha atenção, talvez ele possa gritar: ‘Pare a luta’. Depois, há o córner do lutador. Eles treinam com ele, os conhecem e sabem mais coisas sobre ele do que eu. Eles podem saber algo que eu não sei, e é por isso que eles me dariam alguns conselhos para parar a luta. Em última análise, parar a luta é decisão minha. Não sei quem foi que fez isso, porque eu estava olhando para a luta. Mas ouvi o grito, então presumi que fosse uma das duas pessoas autorizadas, o médico ou o córner”.

“Após a luta que eu arbitrei, perguntei ao médico, e ele disse: ‘Não, essa luta foi boa. Você fez tudo certo lá’. Não tive a chance de perguntar ao córner, mas perguntei aos inspetores encarregados do córner, e eles me disseram: ‘Não, o córner não gritou para parar a luta.’ Isso significa que era outra pessoa, que estava lá para fazer outro trabalho. Isso é uma coisa muito perigosa de se fazer. Se você vestir sua camisa do Super-Homem e decidir que você é a pessoa mais inteligente da arena, mais inteligente que o médico, que o córner que trabalha com o lutador e mais inteligente que o árbitro, há uma chance de você trazer informações que poderiam prejudicar o atleta”, disse Herb Dean, antes de encerrar o seu pronunciamento.

“A verdade é que eu não vou olhar para aquela luta para saber se deveria tê-la interrompido mais cedo, porque é fácil. Quem acredita que eu deveria só está seguindo a opinião de alguém que está com um microfone e diz que ela deveria ter sido interrompida. Mas se você sabe alguma coisa sobre luta, sabe que os lutadores se machucam, mas estamos olhando para as ações dele. Ele está buscando seu oponente, ele sabe onde está, coloca os dois braços entre ele e o oponente, levanta as pernas e a cabeça do tatame. Ele está fazendo tudo o que eu poderia pedir para permanecer na luta. Portanto, não foi uma paralisação errada. Mas a pessoa, ao gritar, está fazendo quase a mesma coisa que se você pegasse uma buzina e tocasse a buzina como se estivesse encerrando a luta. Ela poderia ser facilmente confundida com as pessoas oficialmente qualificadas para gritar: ‘Pare a luta’. Isso nunca deve ser feito. Nunca”, respondeu o árbitro.

Veja as postagens (em inglês) abaixo:

 

Ver essa foto no Instagram

 

I love Mixed Martial Arts. Sometimes it doesn’t love me back though, and that’s alright. Regardless, I’ll always do everything in my power to protect it, and those dedicating themselves to it. Sometimes you may disagree with me, and that’s alright as well. I’m always going to speak my mind, and it will always be backed by what I feel in my heart. If you understand what it takes to get in there, then you understand my passion and anger when I see a fighter left unprotected. It isn’t the first time it’s happened, and twice in a night is clear negligence, in my opinion. The referees job is more important than any other person in that building. It is on their shoulders to protect fighters from getting seriously hurt when they are unable to protect themselves. You may just see UFC fighters in there, but I see friends, teammates, sons, daughters, mothers and fathers, competing in the sport that they love. When I make a mistake, I look stupid on live TV. When a referee makes a mistake, people are left vulnerable and can be seriously damaged. That can be life-changing, and we all have someone to go home to, that loves us and wants us back in one piece. Thank you for all of the kind words and messages I’ve received. I am truly grateful. I’ll see you all around… ♥️ —————— ?‍☠️Outlaw?‍☠️ —————— ? – @jeffbottari ??

Uma publicação compartilhada por Dan Hardy (@danhardymma) em

 

Ver essa foto no Instagram

 

Abu Dhabi

Uma publicação compartilhada por herbdeanmma (@herbdeanmma) em