Argentino da Chute Boxe, Laureano Staropoli mira retomada das vitórias após primeiro revés no UFC: ‘Aprendi muito’

Publicado em 22/07/2020 por: Diogo Santarém
Argentino da Chute Boxe, Laureano Staropoli mira retomada das vitórias após primeiro revés no UFC: ‘Aprendi muito’ Charles do Bronx, Diego Lima e Laureano em treino na Chute Boxe São Paulo (Foto divulgação)

publicidade

Que o Brasil é um dos países mais relevantes no MMA mundial, todos sabem. Mas com a evolução do esporte ao redor do planeta, outros países estão se desenvolvendo e revelando diversos atletas de talento. É o caso da Argentina, que ganhou fama na modalidade pelas excelentes performances de Santiago Ponzinibbio e segue trilhando o caminho de sucesso do país vizinho. O cara da vez é Laureano Staropoli, e o atleta da equipe Chute Boxe São Paulo já tem seu próximo desafio definido: encara o experiente Tim Means no dia 8 de agosto, em Las Vegas (EUA), pelo UFC Fight Night.

Em meio à pandemia, o peso-meio-médio foi obrigado a ter soluções criativas para seguir minimamente em atividade. Além de conseguir manter-se em forma, ele ainda teve a chance de treinar com grandes nomes das artes marciais e afiar o seu jogo, treinando com Alex Poatan, astro do GLORY Kickboxing.

“Eu estava escalado para lutar no dia 28 de março, mas minha luta acabou caindo por conta da pandemia. Foi muito complicado achar um lugar para treinar nesse período. Foi então que conheci o Alex Poatan, um dos grandes nomes brasileiros da luta em pé, que estava treinando com sua irmã em uma oficina mecânica, e consegui fazer algumas atividades com eles. Há pouco tempo, consegui retornar aos meus treinamentos normais na Chute Boxe”, disse Laureano, que em sua trajetória no MMA soma nove triunfos e dois reveses.

Dono de um cartel com duas vitórias e uma derrota no UFC, Staropoli garante que aprendeu muito com a derrota para o russo Muslim Salikhov, em outubro do ano passado. É isso o que ele pretende demonstrar.

“Eu aprendi muito com a minha última derrota. Eu aceitei a luta em cima da hora e sofri muito para bater o peso. Isso acabou afetando minha performance na luta. Além disso, acredito que tenha errado na estratégia. Eu ataquei muito pouco nos dois primeiros rounds, quando fui para cima no terceiro acabei levando vantagem. Agora eu estou dentro do peso. Vou chegar com bastante gás e melhor treinado do que nunca”.

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade