Calasans analisa luta com Isaque Bahiense no BJJ Stars e preparação em meio à pandemia: ‘Nós temos que nos adaptar’

Publicado em 24/07/2020 por: Yago Redua
Calasans analisa luta com Isaque Bahiense no BJJ Stars e preparação em meio à pandemia: ‘Nós temos que nos adaptar’ Calasans comentou preparação para o duelo contra Isaque no BJJ Stars (Foto reprodução Instagram @claudiocalasansjr)

publicidade

* Campeão mundial, do ADCC, entre outras glórias no Jiu-Jitsu, Cláudio Calasans terá um importante compromisso neste sábado (25): vai encarar o jovem Isaque Bahiense, em uma superluta pelo BJJ Stars. Como vivemos um momento de pandemia por conta do novo coronavírus, a preparação de um atleta de alto rendimento nem sempre é a mais apropriada. E como o próprio faixa-preta disse, às vezes, é necessário se adaptar.

Em entrevista à TATAME, Calasans contou que em São José dos Campos, no interior do estado de São Paulo, as academias não foram autorizadas a reabrir, então, precisou de um esforço maior na preparação.

“O lado dessa pandemia é o lado do material humano, né, que está bem reduzido. Eu tenho um aluno que vai lutar o BJJ Stars, o Robinho, então isso já ajuda muito, porque é um parceiro de treino focado na mesma ambição de vencer a luta. Eu tenho alguns parceiros me ajudando, mas não dá para ter uma galera, porque aqui na cidade (São José dos Campos), ainda nem foi permitido a reabertura das academias. Até para treinar tem que escolher bem o horário, porque já chegou a bater fiscalização na academia, e aí tem que explicar certinho. Temos que nos adaptar, o Jiu-Jitsu é isso também”, comentou o campeão do ADCC em 2015.

Já sobre o seu oponente, o placar entre os dois até aqui é 2 a 1 para Isaque. Calasans levou a melhor em uma seletiva do ADCC, mas o lutador da Alliance saiu vencedor no ACB JJ 12 e no Mundial – ambos em 2018. O casca-grossa analisou o oponente e falou que vem estudando, além de prometer usar sua experiência.

“Quando eu lutei com ele sem quimono, ele não tinha essa experiência e a luta foi rápida também. Com quimono eu percebi que ele é muito preparado fisicamente. Nas lutas que ele me enfrentou, ele estava melhor fisicamente do que eu. Acho que isso fez a diferença. Estamos estudando, mas nossa experiência serve para esses momentos”, concluiu o faixa-preta, que completa 37 anos em outubro deste ano.

Assista à entrevista na íntegra com Cláudio Calasans:

* Por Yago Rédua

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Instagram
Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade