Coluna Treinamento Desportivo: saiba utilizar o Levantamento de Peso Olímpico como um elemento a mais no seu treino

Publicado em 10/07/2020 por: Mateus Machado
Coluna Treinamento Desportivo: saiba utilizar o Levantamento de Peso Olímpico como um elemento a mais no seu treino Alceny Neto com o atleta da seleção paranaense de LPO Vinicius Queiros (Foto divulgação)

publicidade

Neste artigo, convidamos Alceny Neto – Mestre em Treinamento Desportivo na Rússia e diretor-técnico da FELP-PR (Federação Esportiva Paranaense de Levantamento de Pesos) – para escrever juntamente com nossos colunistas sobre a utilização do Levantamento de Peso Olímpico (LPO) como um elemento a mais no seu treinamento. Esse será o primeiro de uma sequência de artigos onde demonstraremos o primeiro tempo (fase) do arremesso.

A preparação física nas duas últimas décadas ganhou o LPO como um grande aliado. Devido às suas características biomecânicas, os movimentos clássicos de “arranco” e “arremesso” competitivos, ou os exercícios de forma segmentada, podem ser aplicados para completarem a estrutura do treinamento.

A natureza dos exercícios de LPO, juntamente com a especificidade de seus padrões de movimento para numerosos movimentos atléticos, cria o potencial para os exercícios de LPO serem exercícios de treinamento de força muito eficazes. [5]

Por serem exercícios que contemplam extensão de joelhos e quadril e flexão plantar durante sua execução na puxada de ambos os clássicos, em um movimento de aceleração continua para elevação da barra.

Os cientistas soviéticos analisaram biomecanicamente os movimentos clássicos de arranco e arremesso, criando o sistema estrutural; este estudo desencadeou na ampliação dos métodos de ensino e o desenvolvimento de novos grupos de exercícios que compõem o modelo de treino para a modalidade. [4]

Muitos movimentos rápidos nos esportes exibem tal perfil de aceleração; portanto, o método de treinamento que imita esse perfil provavelmente induziria a uma adaptação esportiva desejável. [2]

Para aumentar a potência de forma máxima, os atletas precisam realizar movimentos de treinamento que envolva a aceleração rápida contra a resistência, e esta aceleração deve estender todo o movimento com nenhuma intenção de desacelerar no final. [3]

Arremesso clássico

O arremesso clássico é um exercício constituído de dois tempos; no primeiro tempo, a barra deve ser puxada em um único movimento contínuo da plataforma até os ombros. No segundo tempo, o movimento é caracterizado pelo arremesso da barra, partindo dos ombros até acima da cabeça.

1- Posição de saída do arremesso clássico: em pesistas que possuem pernas mais longas, a tendência é a altura do quadril ser mais alta, com relação ao solo¹, ao contrário de pesistas com as pernas curtas, onde o quadril tende a ser mais próximo ao solo².

2- Saída do arremesso clássico (vista frontal): braços estendidos, próximo aos joelhos, ombros projetados, não muito à frente da barra. O pesista deve estar com os pés apoiados totalmente no solo a angulação dos pés, podendo variar entre 30° e 40°, de forma que fique confortável para o pesista.

Obs: * pesista – atleta de Levantamento de Pesos
¹ Angulação do joelho de pesistas que possuem as pernas longas e tronco curto 70°. [4]
² Angulação do joelho de pesistas que possuem as pernas curtas e tronco longo 45°. [4]

Utilizando a abordagem “sistêmica estrutural” do primeiro tempo do arremesso. [4] Um exemplo de exercício que pode auxiliar no seu treinamento:

Posição inicial (A): execução conforme o modelo até o encaixe da barra (E). O mesmo exercício, além de ser realizado em suspensão, conforme na foto, pode ser executado com uma variação da barra apoiada no caixote, partindo da mesma posição.

A- Posição inicial – A – a barra acima do nível joelho, tíbia na posição vertical com os braços estendidos, pés paralelos parados e totalmente apoiados ao solo, início da aceleração vertical;

B – Mantendo a interação entre apoio dos pés e aceleração, alcançando a velocidade de condução da barra pela rápida realização, músculos extensores das extremidades inferior do tronco realizam o trabalho;

C – Realizando totalmente a extensão das pernas com o acionamento do trapézio trabalhando ativamente; braços dobrados na altura dos cotovelos; ficando na ponta dos pés, pronto para executar o mergulho;

D- Executando o mais rápido possível a mudança e o mergulho sob a barra para sua recepção;

E– Posição Final.

Treinamentos que utilizem exercícios apropriados de LPO podem levar a um melhor desempenho entre os esportes anaeróbicos dominantes, que exigem altos resultados de potência muscular, rápida produção de força e aceleração do movimento. [1]

Observações                                      

É muito importante que antes de realizar os movimentos de LPO com cargas elevadas, é preciso aprender corretamente o modelo de execução, desta forma você evita a possibilidade de lesão e em contra partida ganha um forte aliado para o seu treinamento. Recomendamos a ajuda de um profissional de Educação Física registrado no CREF para desenvolver um programa individualizado.

Alceny Neto: é Mestre em Treinamento Desportivo na Cadeira de Metodologia e Teoria do Levantamento de Peso Olímpico – Rússia, indicado pela Confederação Brasileira de Levantamento de Pesos (CBLP) para ministrar no módulo de tópicos especiais para Turma de LPO, da Academia Brasileira de Treinadores ABT/IOB. Preparador Físico do Tricampeão Paranaense e Campeão Carioca de Boxe amador, recentemente profissionalizado Fernando Black. Instagram: https://www.instagram.com/alcenyneto/

Referências:

1. Caldwell, Jacob Troy, “Biomechanical comparisons of the power clean and power hang clean exercises at different relative intensities” 2015.page 72.

2. Hori. N, Newton RU, Nosaka K., Stone M.H Weightlifting Exercises Enhance Athletic Performance That Requires High-Load Speed Strength. Cond.J.2005:27(4): 450-455.

3. Newton, R.U., W.J. Kraemer, K. Hakkinen, B.J. Humphries, and A.J. Murphy. Kinematics, kinetics, and muscle activation during explosive upper body movements. J. Appl. Biomech. 12:31–43. 1996.

4. Medvedev. A.S Sistema mnogoletney trenirovki v tyazheloy atletike: Uchebenoye posobiye dlya trenerov. – M.; Fizikul’tura i sport, 1986. 272 Paginas, il.- (Gos. kom. URSS po fiz. kul’t. i sportu; GTSOLIFK).

5. Prue Cormie, Michael R. McGuigan, Robert U. Newton Developing Maximal Neuromuscular Power Sports Medicine, 2011, Volume 41, Number 2, Page 125.

CONTATO > especialista@tatame.com.br
DIRETRIZES DO PROJETO > clique aqui

Stéfane Dias: PhD em Treinamento Desportivo – Rússia e Professor da Keiser University – USA / E-mail: mestraoatt@hotmail.com/ Instagram: https://www.instagram.com/dr.stefanedias/

Everton Bittar Oliveira: Especialista em Treinamento Desportivo e Preparador Físico da American
Top Team / E-mail: vvxtreme@gmail.com/ Instagram: https://www.instagram.com/evertonvvoliveira/

Carlos Alves: Mestre em Treinamento Desportivo e Preparador de Atletas / E-mail: contato.edufisica@hotmail.com/ Instagram: https://www.instagram.com/coach_carlosalves/

Fábio Vieira: PhD em Ciências do Movimento Humano e Professor da Universidade Brasil / E-mail: fabio.vieira@hotmail.com/ Instagram: https://www.instagram.com/fabiosfvieira/

Diego Lacerda: Mestre em Treinamento Desportivo – Rússia / E-mail: diegocslacerda@gmail.com/ Instagram: https://www.instagram.com/diegolacerdatkd/

Pavel Pashkin: Mestre em Treinamento Desportivo e Treinador Profissional de Sambo – Rússia / E-mail: fitsambo@yandex.ru/ Instagram: https://www.instagram.com/pashkinpavel 

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Instagram
Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade