De volta ao UFC, Gustafsson cita aposentadoria prematura após revés na Suécia: ‘Coração partido’

Publicado em 22/07/2020 por: Mateus Machado
De volta ao UFC, Gustafsson cita aposentadoria prematura após revés na Suécia: ‘Coração partido’ Aos 33, Gustafsson volta de aposentadoria em duelo no peso pesado (Foto reprodução Instagram @alexthemauler)

publicidade

Ex-desafiante ao cinturão meio-pesado do Ultimate, Alexander Gustafsson anunciou sua aposentadoria do MMA em junho do ano passado, após ser finalizado por Anthony Smith na luta principal do UFC Estocolmo, na Suécia, seu país natal. Naquela ocasião, ao sofrer sua segunda derrota consecutiva – a outra havia sido para Jon Jones -, o lutador se viu pressionando diante dos fãs suecos e, ainda no octógono, decidiu se afastar do esporte. Todavia, não demorou muito para que Gustafsson, atualmente com 33 anos, pensasse melhor a respeito da sua atitude, e no próximo sábado (25), no último evento do UFC na “ilha da luta”, em Abu Dhabi (EAU), “The Mauler” fará seu retorno à modalidade.

A volta de Gustafsson acontecerá em outra categoria, a dos pesados, diante do brasileiro Fabrício Werdum, em uma das lutas mais aguardadas do card. Em entrevista ao site MMA Fighting, o sueco explicou as razões que o levaram a anunciar sua aposentadoria precoce após a derrota para Anthony Smith, ressaltando que a “questão emocional” foi determinante para tomar tal decisão naquele momento.

“Foi um momento onde o emocional falou mais alto, nada mais. Eu estava com o coração partido. Foi uma luta difícil, foi em Estocolmo, contra um cara que eu sei que tinha as ferramentas para vencer, mas não consegui. Foi uma noite difícil e minhas emoções e pensamentos foram um verdadeiro caos”, relembrou.

A subida para a divisão dos pesados acontece em um momento onde cada vez mais lutadores de MMA optam por mudar de categoria. Gustafsson pode pegar como exemplo Daniel Cormier – a quem já enfrentou nos meio-pesados -, que atualmente luta na categoria até 120kg e, inclusive, foi campeão na classe de peso, assim como nos meio-pesados. Apesar de não saber dizer se a mudança para a classe acima é permanente, o sueco declarou que sua ida para os pesados acontece no “momento certo”.

“Eu senti que era o momento certo para subir de categoria, porque eu sou bem pesado, muito grande. Eu me senti muito bem em subir e experimentar a divisão dos pesados. A luta contra Fabrício Werdum é algo que encaixa muito bem e estou empolgado. Eu estou muito mais forte do que normalmente era no meio-pesado. Vou me desafiar e ver como vai ser. Ele (Werdum) é uma lenda do esporte, ex-campeão. É uma maneira perfeita de voltar. Eu vencerei o Werdum no sábado e depois vamos ver o que vem pela frente. No momento, é apenas uma luta de cada vez, estou aqui para vencer minhas lutas e no UFC para ficar”, disse.

CARD COMPLETO:

UFC on ESPN 14
Ilha de Yas, em Abu Dhabi (EAU)

Sábado, 25 de julho de 2020

Card principal (21h, horário de Brasília)
Peso-médio: Robert Whittaker x Darren Till
Peso-meio-pesado: Maurício Shogun x Rogério Minotouro
Peso-pesado: Fabrício Werdum x Alexander Gustafsson
Peso-palha: Carla Esparza x Marina Rodriguez
Peso-meio-pesado: Paul Craig x Gadzhimurad Antigulov
Peso-meio-médio: Alex Cowboy x Peter Sobotta
Peso-meio-médio: Khamzat Chimaev x Rhys McKee

Card preliminar (18h, horário de Brasília)
Peso-leve: Francisco Massaranduba x Jai Herbert
Peso-meio-médio: Nicolas Dalby x Jesse Ronson
Peso-pesado: Tom Aspinall x Jake Collier
Peso-pena: Movsar Evloev x Mike Grundy
Peso-pesado: Raphael Bebezão x Tanner Boser
Peso-galo: Bethe Correia x Pannie Kianzad
Peso-meio-médio: Ramazan Emeev x Niklas Stolze
Peso-galo: Nathaniel Wood x John Castañeda

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Instagram
Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade