Dispensado pelo UFC em 2019, Gilbert Melendez tenta contestação, mas recebe suspensão de dois anos da USADA

Publicado em 28/07/2020 por: Mateus Machado
Dispensado pelo UFC em 2019, Gilbert Melendez tenta contestação, mas recebe suspensão de dois anos da USADA Gilbert Melendez foi dispensado do UFC após sete lutas: seis derrotas e uma vitória (Foto reprodução Instagram)

publicidade

Com títulos do WEC e do Strikeforce em seu currículo, Gilbert Melendez chegou ao UFC em 2013 com grande status, entretanto, sua passagem pela organização foi melancólica. Em sete lutas, foram seis derrotas, a última em julho do ano passado, e apenas uma vitória, sobre Diego Sanchez. O rendimento ruim dentro do octógono levou o lutador, atualmente com 38 anos, a ser dispensado pela companhia no ano passado. E para agravar seu mau momento, Melendez recebeu dois anos de suspensão após testar positivo em exame realizado pela USADA (Agência Antidoping dos EUA).

Na última segunda-feira (27), o órgão revelou a decisão de um juiz independente, que manteve o período de punição ao atleta, que em sua defesa, alega que o “gancho” só é válido para lutas no UFC, e que em um pedido de arbitragem independente, o Ultimate o teria dispensado no dia 12 de outubro de 2019, quatro dias antes do exame antidoing a que foi submetido, que ocorreu em 16 de outubro, mais de três meses após a última luta do peso-leve. A demissão do americano só se tornou pública no começo de novembro.

De acordo com a decisão do árbitro independente, presente no site da USADA, nenhum dos envolvidos – nem mesmo Gilbert Melendez – foram notificados da demissão do lutador por parte do UFC antes do dia 16 de outubro. Sam Awad, empresário de Gilbert, só teria sido informado da dispensa no final do mês, e neste período, Melendez ainda não havia sido retirado da lista de lutadores relacionados para o controle antidoping. Dessa forma, o juiz entendeu que a USADA tinha a autoridade necessária para realizar testes e aplicar uma punição em casos positivos, o que ocorreu no exame do lutador norte-americano.

Melendez testou positivo para GHRP-6, um peptídeo do hormônio de crescimento, e seus metabólitos GHRP-6(2-5)-OH e GHRP-6(2-6)-OH, substâncias que são proibidas até mesmo fora do período de competição. Na época, o lutador não contestou o resultado e agora terá de cumprir dois anos de suspensão, válidos a partir do dia 1º de novembro de 2019, data em que recebeu uma suspensão preventiva.

Apesar de tudo, Gilbert contesta que a decisão só é válida para lutas no UFC, o que o tornaria livre para competir em outras organizações de MMA: “Em um trecho no site da USADA, eu acredito que eles falharam em reconhecer que tudo o que o árbitro reconheceu a eles é que eu não posso lutar no UFC por dois anos, o que eu não faria de qualquer maneira, porque fui dispensado por eles”. Já no site da entidade, consta o seguinte trecho: “Em acordo com os artigos 10.2 e 10.11.3.1 da Política Antidoping do UFC, o Sr. Gilbert Melendez está inelegível para competir em qualquer luta ou combate do UFC por um período de tempo de dois anos, começando em 1º de novembro de 2019”.

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Instagram
Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade