Em busca do topo no peso mosca, Raulian supera ausência de treinador e se inspira em outros brasileiros antes do UFC 251

Publicado em 03/07/2020 por: Diogo Santarém
Em busca do topo no peso mosca, Raulian supera ausência de treinador e se inspira em outros brasileiros antes do UFC 251 Raulian está a caminho de Abu Dhabi, onde lutará no UFC 251 (Foto reprodução Instagram @raulianpaivamma)

publicidade

* Com apenas 24 anos, o brasileiro Raulian Paiva ainda tem um longo caminho a percorrer no MMA, porém, com um cartel de 19 triunfos e três derrotas, já sabe aonde quer chegar. Depois de conquistar sua primeira vitória no Ultimate em fevereiro deste ano, com um nocaute sobre Mark De La Rosa, o peso-mosca se preparara para retornar ao octógono no próximo dia 11 de julho, no UFC 251, quando terá pela frente o cazaque Zhalgas Zhumagulov. O evento, vale citar, vai marcar a estreia da “ilha da luta”, em Abu Dhabi (EAU), e contará com três disputas de cinturão.

“Foi meio de surpresa (o convite). Meu manager me ligou dizendo que eu ia lutar no UFC 251, contra o Zhumagulov, e eu falei ‘tudo bem’. O contrato chegou, assinei e não fiquei muito pensativo sobre tudo o que está acontecendo”, disse o lutador em entrevista à TATAME, se referindo à pandemia do novo coronavírus.

Por conta da pandemia – e do convite um mês e meio antes do evento -, Raulian contou que não conseguiu se preparar da melhor maneira, mas fez o que era possível diante das circunstâncias. Natural do Pará, que está na lista dos cinco estados brasileiros com mais casos do coronavírus, o peso-mosca ainda comentou sobre a falta que Ronildo Nobre, seu treinador principal, fará no duelo. Após testar positivo para Covid-19, Ronildo – que passa bem – foi impedido de viajar para ficar no córner do seu pupilo.

“Aqui (no Pará) não estava funcionando nada quando recebi o convite, academias fechadas, sem aulas, então subi um pouco de peso, fiquei além do peso que eu gosto de manter, mas mesmo assim aceitei o desafio. Foquei na dieta, nos treinos, e graças a Deus consegui fazer um camp bacana. A academia estava fechada de um modo geral, mas meu mestre abria para eu e uma pequena turma que montamos fazermos preparação”, afirmou o paraense, completando sobre o peso da ausência de Ronildo Nobre.

“Recebei a notícia de última hora (que ele estava com Covid-19), e claro, fiquei triste, mas mantive o foco. Ele está se recuperando, e desse problema vou tirar motivação para levar a vitória para ele e nossa equipe”.

A respeito do experiente Zhalgas Zhumagulov, de 31 anos, Raulian analisou a qualidade do jogo em pé do adversário, me fez uma ressalva quanto ao Jiu-Jitsu do cazaque. “Pelo que vi, ele gosta de trocar, é forte na luta em pé, mas não tem uma boa defesa de quedas, nem um bom Jiu-Jitsu. Entretanto, eu estou indo para fazer a luta que ele gosta, trocar porrada. Se eu sentir que não está legal, ai levo a luta pra baixo”.

Brasileiros no topo e revanche na mira

Como todo lutador do UFC, o grande sonho de Raulian Paiva é um dia ser campeão da organização. Para isso, ele tem alguns compatriotas que podem servir de inspiração no peso mosca, casos de Jussier Formiga, Alexandre Pantoja e Deiveson Figueiredo, este último escalado para disputar o cinturão vago da categoria contra Joseph Benavidez, no próximo dia 18 de julho, também na esperada “ilha da luta”.

A caminhada, entretanto, é longa, e antes de chegar no título, o paraense mira o Top 10 da divisão e uma revancha: “O UFC está investindo no peso palha, tem muito estreante, então a categoria está mais movimentada. E fico feliz em ver diversos brasileiros no topo, o Deiveson, Pantoja, Formiga… Eu quero estar no meio deles, e conseguindo uma vitória no dia 11, quero muito lugar com alguém do Top 10. Pode ser contra o Rogério Bontorin, porque ficou uma duvida na nossa luta. Quem acabou a luta não foi ele, foram os médicos do UFC, por segurança, então eu queria a oportunidade dessa revanche”, projetou Raulian.

CARD COMPLETO:

UFC 251
Ilha de Yas, em Abu Dhabi (EAU)
Sábado, 11 de julho de 2020

Card principal
Peso-meio-médio: Kamaru Usman x Gilbert Durinho
Peso-pena: Alexander Volkanovski x Max Holloway
Peso-galo: Petr Yan x José Aldo
Peso-palha: Jéssica Bate-Estaca x Rose Namajunas
Peso-mosca: Amanda Ribas x Paige VanZant

Card preliminar
Peso-meio-pesado: Volkan Oezdemir x Jiri Prochazka
Peso-meio-médio: Elizeu Capoeira x Muslim Salikhov
Peso-pena: Makwan Amirkhani x Danny Henry
Peso-leve: Léo Santos x Roman Bogatov
Peso-pesado: Marcin Tybura x Alexander Romanov
Peso-mosca: Raulian Paiva x Zhalgas Zhumagulov
Peso-galo: Karol Rosa x Vanessa Melo
Peso-galo: Martin Day x Davey Grant

* Por Diogo Santarém

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade