Durinho reafirma que é o próximo desafiante e rebate Leon Edwards: ‘Aniversário de um ano sem lutar’

Publicado em 17/07/2020 por: Mateus Machado
Durinho reafirma que é o próximo desafiante e rebate Leon Edwards: ‘Aniversário de um ano sem lutar’ Gilbert Durinho rebateu as provocações feitas por Leon Edwards (Foto reprodução/ Instagram/@gilbertburns)

publicidade

* Diagnosticado com coronavírus faltando poucos dias para disputar o cinturão meio-médio, Gilbert Durinho viu Jorge Masvidal substituí-lo de última hora no card do UFC 251 e ser derrotado na decisão unânime pelo campeão Kamaru Usman, no último sábado (11), em Abu Dhabi. Recuperando-se da Covid-19, o brasileiro passou por alguns sintomas nos últimos dias, no entanto, garante estar quase recuperado.

* Relembre: Durinho testa positivo para o coronavírus e é retirado da luta principal do UFC 251

Nesta semana, Gilbert passou por um novo teste de coronavírus – em resultado que ainda será divulgado – e conversou com a TATAME sobre diversos assuntos. Um deles, como não poderia ser diferente, é seu próximo passo na categoria. O faixa-preta de Jiu-Jitsu revelou que, em conversa com Dana White, presidente do Ultimate, teve confirmada a informação de que será o próximo a enfrentar o campeão Kamaru Usman. Vale ressaltar que, em entrevista aos jornalistas na última semana, o mandatário também já havia confirmado Durinho como desafiante número 1 ao cinturão.

“Estou seguro, bem tranquilo em relação a isso (ser o próximo desafiante ao cinturão meio-médio). O Dana White já me confirmou, me mandou mensagem e falou comigo, eu vou ser o próximo, ele mesmo disse que é a luta que ele quer ver. Meu empresário também me garantiu e é isso, vamos pra cima”, afirmou.

Embalado por uma série de seis vitórias consecutivas na organização, o lutador de Niterói (RJ) também explicou a troca de provocações que protagonizou recentemente com Leon Edwards através das redes sociais. Terceiro colocado no ranking meio-médio e vindo de oito triunfos em sequência, o inglês quer a luta pelo título e menosprezou o retrospecto recente de Durinho, o que levou o brasileiro a rebater as declarações de Edwards. Ao comentar sobre a discussão, Gilbert citou o tempo que “Rocky” não entra no octógono – desde julho do ano passado – como um fator determinante para que ele não receba o title shot.

* Edwards e Durinho discutem posto de desafiante, e brasileiro cutuca rival: ‘Quem você venceu?’

“Ele falou um pouquinho e eu acho que tenho muitos argumentos para ter essa disputa de cinturão. Dia 20 de julho é meu aniversário e é aniversário também do Leon Edwards, só que de um ano sem lutar (risos). Já fiz quatro lutas nesse meio tempo, estava indo para a quinta luta e o cara está querendo colocar a culpa na pandemia. Só que a última luta foi em julho do ano passado, a pandemia só começou em março desse ano. É muito tempo sem lutar para querer ir direto para o cinturão”, explicou.

Confira a entrevista na íntegra com Gilbert Durinho:

– Recuperação após ser diagnosticado com coronavírus

Estou me recuperando muito bem. Ainda não estou 100%, mas quase lá. Um dia, tive muita febre e calafrios, nos outros dias eu estava com uma dor de cabeça horrível, muito forte mesmo, e também não estava sentindo cheiro de nada, além da fraqueza, que é normal, indisposição, um pouco de dor no corpo, mas agora estou bem melhor, quase totalmente recuperado.

– Tempo para voltar aos treinos e 2020 com ‘agenda lotada’

O meu médico pediu para eu esperar mais duas semanas, essa e a próxima, para voltar. Eu tive um gasto energético esse ano… Já fiz duas lutas, fiz três camps fortes para lutas, fui córner em três lutas, já viajei pra caramba só esse ano, a agenda está muito lotada apenas para a metade do ano. Eles querem que eu descanse um pouco mais para, devagar, voltar aos treinamentos depois. O que estou fazendo agora é descansar, ficar com a família, porque não tive tempo nem para isso esse ano direito. Fiz a luta com o Demian no Brasil, voltei correndo, por causa da pandemia. Cheguei nos EUA, fechou a luta contra o Woodley, mais treinamento, lutei, venci, depois fechou a luta contra o Usman, mais um camp de treinamento. Não tive descanso, então agora estou aproveitando para relaxar, mas em breve estou de volta aos treinos.

– Análise da luta entre Usman e Masvidal

A luta foi o que eu achei que seria. Foi um pouco chata, mas o Usman tem isso de neutralizar os oponentes, mas eu já esperava essa estratégia dele, acho, inclusive, que ele usaria comigo também, de não me derrubar muito, de trabalhar mais no clinch. Ele é eficaz, ponto final. Ganhou a luta tranquilo, com sobras e manteve o cinturão, que era o que ele queria.

– Conversa com Dana White e disputa de cinturão ‘assegurada’

Estou seguro, bem tranquilo em relação a isso (ser o próximo desafiante ao cinturão meio-médio). O Dana White já me confirmou, me mandou mensagem e falou comigo, eu vou ser o próximo, ele mesmo disse que é a luta que ele quer ver. Meu empresário também me garantiu e é isso, vamos pra cima.

– Confiança em possível vitória sobre o campeão Usman

Acredito que posso ganhar de qualquer um nessa categoria. Creio muito que vou ganhar do Kamaru Usman, venho trabalhando duro para isso. Acho que faltou muita coisa para o Jorge Masvidal ganhar a luta. O Kamaru ganhou todos os rounds, controlou a luta inteira. O Masvidal é um striker perigoso, mas não o suficiente para ganhar um cara como o Usman.

– Troca de provocações com Leon Edwards

Eu gosto do ‘bafafá’ mesmo (risos). Ele falou um pouquinho e eu acho que tenho muitos argumentos para ter essa disputa de cinturão. Dia 20 de julho é meu aniversário e é aniversário também do Leon Edwards, só que de um ano sem lutar (risos). Já fiz quatro lutas nesse meio tempo, estava indo para a quinta luta e o cara está querendo colocar a culpa na pandemia. Só que a última luta foi em julho do ano passado, a pandemia só começou em março desse ano. É muito tempo sem lutar para querer ir direto para o cinturão. Outra coisa: ele estava marcado para lutar contra o Woodley, mas eu que lutei contra o Woodley. Como ele vai ganhar a disputa de cinturão se ele tinha uma luta, ele não pôde lutar, eu lutei contra o cara, dominei e venci, e aí ele luta pelo cinturão? Não faz sentido algum (risos).

Eu respeito dois caras que ele ganhou e gosto muito: o Vicente Luque e o Rafael dos Anjos. Só que a luta contra o Vicente já faz muito tempo, o Vicente já fez umas dez lutas depois daquela derrota, já evoluiu muito. Já o Rafael dos Anjos não vinha em um bom momento, mas é uma luta que já faz tempo também. Nas minhas últimas lutas, eu nocauteei o Demian, algo que ninguém faz, e dominei com sobras o ex-campeão. Já me asseguraram que vou ter a chance de disputar o cinturão novamente, então é isso, paciência para quem não aceitar (risos).

– Nova provocação feita por Nate Diaz

Não me incomoda mais, de verdade. Sei que sou o próximo a disputar o cinturão, acredito que vou ser campeão, enquanto o cara (Nate Diaz) tá há anos no UFC e nunca foi campeão, e nem tem condições de ser. Então, falar até papagaio fala, deixa ele falar, não muda nada na minha vida (risos).

* Nate ‘provoca’ Durinho após saída do UFC 251, e brasileiro rebate: ‘Eu iria arrebentar você’; veja

– Polêmica envolvendo declaração de Paulo Borrachinha

O Borrachinha esclareceu essa situação. Tenho um bom contato, uma boa amizade com ele. O Borrachinha explicou tudo, me mandou mensagem e disse que estava falando do UFC e não de mim, falou que torce por mim, que está na torcida para eu ser campeão. Não tenho nada contra ele, pelo contrário, quero que ele seja campeão também.

* Após polêmica com Durinho e receber ‘resposta’ de Herbert, Borrachinha diz: ‘Me referi ao UFC’

* Por Mateus Machado 

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade