Aldo cita pandemia e rebate Jon Jones sobre maior valorização financeira: ‘O que ele seria sem o UFC?’

Publicado em 07/07/2020 por: Yago Redua
Aldo cita pandemia e rebate Jon Jones sobre maior valorização financeira: ‘O que ele seria sem o UFC?’ Aldo criticou a postura de Jones sobre uma valorização financeira (Foto Serginho Bittencourt)

publicidade

O UFC vive um momento conturbado em relação a uma parcela dos seus atletas. Algumas estrelas da companhia, como o campeão meio-pesado Jon Jones, estão mostrando publicamente sua insatisfação e pedindo uma maior valorização financeira. José Aldo, ex-campeão dos penas e que terá a oportunidade de conquistar o título dos galos no próximo sábado (11), quando vai medir forças com Petr Yan no UFC 251, tem uma opinião diferente. O brasileiro disse à ESPN americana que o atual momento, de pandemia por conta do novo coronavírus, não é de pedir “aumento”.

“Eu respeito a posição do Jon Jones, faz parte do atleta, mas tenho uma visão contrária. Fico contente pelo que o UFC me proporcionou, por eu me tornar quem sou. Então, nesse momento em que o mundo passa por uma situação tão difícil, lutar por um aumento ou qualquer coisa, não vejo de uma maneira positiva”.

Aldo afirmou que “Bones” teria uma vida diferente se não fosse a franquia: “Deixo essa questão: ‘Se não fosse o UFC, o que ele seria? Não seria nada’. Então esse não é o momento de pensar em receber mais ou não. Espere essa fase passar e negocie o contrato. Se você assina um contrato para ganhar uma quantia, está escrito. Aí depois porque ganha uma lutinha, tem que ter um contrato a mais? Não”, concluiu.

Além de Jon Jones, campeão dos meio-pesados, a lista de atletas insatisfeitos com o UFC conta com os recém aposentados Henry Cejudo e Conor McGregor, Jorge Masvidal, Paige VanZant, entre outros.

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Instagram
Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade