Preso em ato neonazista em 2016 na Alemanha, lutador do UFC é demitido da franquia sem estrear

Publicado em 13/07/2020 por: Yago Redua
Preso em ato neonazista em 2016 na Alemanha, lutador do UFC é demitido da franquia sem estrear Alemão Timo Feuch treina com Alexander Gustafsson, também atleta do UFC (Foto reprodução Instagram @timofeucht)

publicidade

O alemão Timo Feuch, que estava se preparando para estrear pelo UFC na próxima quarta-feira (15), em um duelo contra Kenneth Bergh na “ilha da luta”, em Abu Dhabi (EAU), acabou cortado do plantel da organização. O motivo foi a descoberta do Ultimate sobre uma ligação no passado do peso-meio-pesado com grupos neonazistas e de extrema direita na Alemanha. A informação foi divulgada pelo site americano MMA Fighting.

A companhia descobriu que Feuch esteve envolvido em um ato de grupos neonazistas no distrito de Connewitz, em Leipzig, em janeiro de 2016, que destruiu vários estabelecimentos. O episódio terminou com a prisão de mais de 200 pessoas, entre elas estava o lutador meio-pesado.

Feuch foi escalado de última hora para o evento do UFC nesta quarta. O alemão, de 24 anos, tem um cartel de oito vitórias e apenas uma derrota – para o brasileiro Klidson Abreu, no BRAVE. Inclusive, a demissão do lutador da companhia árabe foi justamente por conta da ligação com grupos neonazistas no passado.

O alemão treina com nomes importantes do UFC, como os suecos Alexander Gustafsson e Ilir Latifi.

 

Ver essa foto no Instagram

 

#stayhealthy 🌍!

Uma publicação compartilhada por Timo Feucht (@timofeucht) em

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Instagram
Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade