Raulian comenta ataques racistas após vitória sobre atleta do Cazaquistão no UFC 251 e diz: ‘Terão que engolir o meu brilho’

Publicado em 14/07/2020 por: Yago Redua
Raulian comenta ataques racistas após vitória sobre atleta do Cazaquistão no UFC 251 e diz: ‘Terão que engolir o meu brilho’ Raulian sofreu ataques racistas nas redes sociais após vitória no UFC 251 (Foto reprodução Instagram @raulianpaivamma)

publicidade

* Em ação no principal evento do Ultimate em 2020 até aqui, o UFC 251, realizado no último sábado (11), na abertura da “ilha da luta”, em Abu Dhabi (EAU), Raulian Paiva sofreu racismo nas redes sociais após conquistar sua segunda vitória dentro da franquia. O brasileiro derrotou o cazaque Zhalgas Zhumagulov por decisão unânime e foi ofendido por alguns seguidores – oriundos do Cazaquistão – que comentaram nas suas publicações com emojis de “macaco” e “rato”.

Em bate-papo com a TATAME, Raulian comentou o episódio nas redes sociais: “Eu confesso que não estou ligando muito para isso, estou levando na esportiva. Sei que estão com raiva de mim, por ter vencido um cara do país deles, mas eu não ligo, não. Eu fico rindo aqui no quarto, lendo aqueles comentários. O que eles querem é atenção, quanto mais você dá atenção, mais vão querer ficar ali (ofendendo). Deixa eles falarem até o momento que enjoarem. Estou tranquilo, isso não vai me atingir. Deixa eles ficarem com o racismo deles para lá, o importante é que eu conquistei a vitória e estou muito feliz”, disse o brasileiro.

“Sobre essas ofensas, o que eu gostaria de deixar como resposta, é que eles não vão tirar o meu foco. Eles vão me ver brilhar muito ainda aí na frente e que eles vão ter que engolir o meu brilho”, comentou Raulian, que chegou a expor as mensagens em suas redes sociais.

O momento de Raulian é positivo dentro da companhia, com duas vitórias seguidas e a aproximação do Top 10 da categoria dos moscas. No entanto, o início no UFC foi complicado. O lutador registrou duas derrotas, mas que, segundo ele, serviram de aprendizado para evoluir como atleta e também ser humano.

“Eu estou muito feliz de estar com duas vitórias consecutivas, sei que vão vir mais vitórias dentro da organização. O começo foi bem difícil, muitas pessoas pensaram que eu estava pra baixo, que tinha atingido o meu psicológico, mas pelo contrário, me fez crescer mais ainda como atleta e como pessoa. Só me fez buscar mais evolução, corrigir os meus erros. Essas duas vitórias só me empolgam mais. Estou mais motivado. Mesmo ganhando, estou procurando arrumar os meus erros, eu já assisti à luta. Em breve, eu quero lutar com um Top 10 da categoria. O meu objetivo é ser campeão”, analisou lutador amapaense.

Confira outros trechos da entrevista com Raulian Paiva:

– Análise da performance no UFC 251

Foi uma ótima performance. Consegui mostrar que eu tenho um bom Muay Thai, bons chutes baixos, que eu sei lutar por cima e não só jogar no chão e ficar amassando, procurando finalização. O Zhalgas é um cara bem duro, me surpreendeu. No começo da luta, ele veio de base canhota e ele não é canhoto. Foi bom, porque eu usei mais os meus chutes. Fiquei feliz, pelo fato de ter feito tudo o que eu treinei e planejei.

– Projeção dentro da categoria

Vindo de duas vitórias boas, desde quando eu estreei, peguei caras duros, não teve nenhuma moleza. Eu pedi para o UFC para lutar com um Top 10, estou em 12º. Seria bem divertido, bem legal. E seriam dois passos para entrar no Top 10, depois vou mirar o Top 5, o Top 3… Até ser campeão do peso mosca.

– Sensação de participar da ‘ilha da luta’

Quando eu cheguei aqui na Ilha, quando vi a estrutura toda, o card… Foi uma coisa sensacional, não sei nem explicar. Foi uma sensação de orgulho, de gratidão. Estou até agora muito feliz, não só pela minha vitória, mas por fazer parte deste grande evento. Pra mim vai ser o melhor card do ano, um grande orgulho.

– Protocolo de segurança contra Covid-19

Todos esses testes contra a Covid-19 foram uma experiência nova pra mim. Já fiz cinco ou seis testes, até perdi a conta, é muito bom passar por tudo isso. Eu sei que o UFC está fazendo isso para o nosso bem. Não tem o que reclamar do teste. Sei que é a minha saúde que está em jogo e eles (UFC) estão certos. Eu apoio.

* Por Yago Rédua

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Instagram
Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade