Com cinco derrotas em seis lutas no UFC, Weidman busca retomada e afirma: ‘Preciso voltar ao caminho das vitórias’

Publicado em 05/08/2020 por: Yago Redua
Com cinco derrotas em seis lutas no UFC, Weidman busca retomada e afirma: ‘Preciso voltar ao caminho das vitórias’ Weidman busca uma retomada na carreira após retrospecto negativo (Foto reprodução Twitter @chrisweidman)

publicidade

Durante algum tempo no Ultimate, Chris Weidman era visto como um dos principais atletas peso-por-peso do mundo. Após nocautear Anderson Silva e acabar com um longo reinado do brasileiro, o “All-American” passou a colecionar resultados positivos contra nomes importantes da organização, entre eles os também brasileiros Vitor Belfort e Lyoto Machida, por exemplo.

Após perder o cinturão para Luke Rockhold, em dezembro de 2015, Weidman só conseguiu vencer uma vez em cinco lutas. No entanto, apesar do retrospecto negativo, o ex-campeão é o favorito para duelo contra o russo Omari Akhmedov, no próximo sábado (8), pelo co-main event do UFC Fight Night 174. Se você acredita em uma vitória do americano, use código bônus bet365 para apostar. Vale lembrar que este embate marca o retorno do americano ao peso médio. No fim de 2019, Weidman se aventurou nos meio-pesados e foi nocauteado por Dominick Reyes.

Antes de ter o confronto contra “Wolverine” marcado, Weidman iria enfrentar Jack Hermansson, mas o combate foi cancelado por conta da pandemia do novo coronavírus. Em seguida, seu nome foi especulado para uma revanche contra o cubano Yoel Romero e até mesmo para encarar a promessa Edmen Shahbazyan, pupilo da ex-campeã Ronda Rousey. Em entrevista ao site MMA Fighting, o americano disse que queria apenas voltar a lutar e, principalmente, retomar uma sequência positiva dentro da companhia.

“Preciso voltar ao meu caminho vencedor, ao caminho das vitórias. Acho que tenho muitas vantagens nessa luta, mas quando você está lá, nunca sabe o que vai acontecer. Estou levando isso muito a sério. Ele é duro, mas quando olho para os caras com quem lutei, não acho que ele esteja lá tanto quanto os mais talentosos. Acredito que é uma afirmação justa sem depreciá-lo”, disse, Weidman, que seguiu sua análise do russo.

“Eu só queria lutar. Sinceramente, não ouvi falar dele. Eu era como, quem é esse? Até o meu gerente não sabia. Então eu olhei para ele, e ele estava subindo. Ele está no UFC há um tempo, meio que indo e voltando entre os meio-médios e médios”, comentou o lutador de 36 anos, que acumula 14 vitórias e cinco derrotas.

A última vitória de Weidman aconteceu em julho de 2017, quando ele finalizou Kelvin Gastelum no UFC Long Island, em Nova York (EUA). Neste período de derrotas para adversários como Yoel Romero, Ronaldo Jacaré e Gegard Mousasi na categoria dos médios, o lutador também enfrentou uma série de lesões.

Já o russo chegou ao UFC em 2013. Ao todo, pela franquia, são oito vitórias, três derrotas e um empate – intercalando lutas nos meio-médios e nos médios. Após um começo com oscilações, Omari Akhmedov vem com uma marca de cinco triunfos seguidos no Ultimate – sendo o último sobre Ian Heinisch, em dezembro.

CARD COMPLETO:

UFC Fight Night 174
UFC Apex, em Las Vegas (EUA)
Sábado, 8 de agosto de 2020

Card principal (22h, horário de Brasília)
Peso-pesado: Derrick Lewis x Alexey Oleynik
Peso-médio: Omari Akhmedov x Chris Weidman
Peso-médio: Maki Pitolo x Darren Stewart
Peso-galo: Yana Kunitskaya x Julija Stoliarenko
Peso-leve: Beneil Dariush x Scott Holtzman

Card preliminar (19h, horário de Brasília)
Peso-meio-médio: Tim Means x Laureano Staropoli
Peso-leve: Nasrat Haqparast x Alexander Muñoz
Peso-médio: Andrew Sanchez x Wellington Turman
Peso-pena: Gavin Tucker x Justin Jaynes
Peso-leve: Youssef Zalal x Peter Barrett
Peso-galo: Irwin Rivera x Ali Alqaisi
Peso-médio: Kevin Holland x Joaquin Buckley

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Instagram
Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade