Em busca de recuperação, Wellington Turman vibra com nova luta marcada no UFC e garante: ‘Vou dar a volta por cima’

Publicado em 28/08/2020 por: Mateus Machado
Em busca de recuperação, Wellington Turman vibra com nova luta marcada no UFC e garante: ‘Vou dar a volta por cima’ Wellington Turman vai encarar Sean Strickland no dia 31 de outubro (Foto reprodução Instagram @turmanmma)

publicidade

* Antes de entrar em ação no UFC Fight Night 174, Wellington Turman vinha embalado por uma boa vitória contra o compatriota Markus Maluko, em novembro do ano passado, e teve pela frente Andrew Sanchez na expectativa de contabilizar mais um importante triunfo. Porém, o brasileiro não repetiu a boa atuação do combate anterior e acabou sendo derrotado por nocaute ainda no primeiro round, amargando seu segundo revés em três lutas realizadas desde que foi contratado pelo UFC.

Turman, todavia, não teve tempo para lamentar. Ainda neste mês de agosto, o lutador peso-médio recebeu a notícia de um novo duelo agendado, agora diante de Sean Strickland, que vai acontecer no dia 31 de outubro, no card do UFC Fight Night Hallowenn, ainda sem local definido. Disposto a se recuperar dentro da organização, o curitibano, de apenas 24 anos, garantiu que vai adotar mais da estratégia traçada pela sua equipe, o que acabou não ocorrendo no revés anterior para Andrew Sanchez.

“Fiquei muito feliz com o anúncio dessa luta. Eu pensava que só iria lutar no ano que vem, pelo fato de como foi a última luta, eu não lutei bem, então pensava que só voltaria em 2021, mas graças a Deus, estou tendo a oportunidade de voltar e estou muito feliz. Eu sei que o Strickland é um cara mais do Boxe, então a gente vai fazer um jogo que eu sempre fiz, de grappling, mais agarrado, e pretendo voltar mais para o lado estratégico, para não ter mais erro, como aconteceu na última luta”, disse Turman, em entrevista à TATAME.

Confira o restante da entrevista com Wellington Turman:

– Derrota por nocaute para o Andrew Sanchez

Eu acho que fugi um pouco da estratégia. Sempre fui um cara que seguiu a estratégia, mas eu acabei entrando num jogo de trocação e o Andrew Sanchez é bom nessa área. Ele nunca foi um cara trocador mesmo, sempre foi mais voltado para o Wrestling, mas ele melhorou muito na trocação e acabou surpreendendo. Acho que estava uma luta bem franca, entravam bons golpes meus, bons golpes dele, e nessa categoria, o golpe que pegar primeiro é o que derruba. Eu acabei fazendo uma luta sem estratégia e isso me custou a derrota. Foi uma luta horrível, fiquei muito mal, mas já estou trabalhando para melhorar.

– Importância de manter o ritmo de luta no UFC

Fiquei animado com essa nova luta, porque é bom quando você tem um objetivo, e agora meu objetivo é essa luta de outubro. Antes da minha última luta, eu fiquei quase nove meses parado, desde o UFC São Paulo, então é um tempo ruim, que você fica só treinando, não tem luta, não tem um objetivo, isso acaba deixando a gente sem foco às vezes. É muito bom quando você emenda uma luta na outra e eu sou bem novo, tenho bastante lenha para queimar, então gosto de estar sempre ativo. Faço também um bom trabalho voltado para a prevenção de lesões, tenho um grande time ao meu lado, e isso é importante para me manter ativo e com lutas marcadas. Estou muito bem e preparado para o meu próximo desafio.

– Balanço da sua trajetória no UFC até o momento

Já fiz três lutas no UFC, mas sinto que não consegui mostrar tudo o que posso fazer, não consegui me soltar 100% ainda, então tenho muito a mostrar. Graças a Deus, consegui renovar meu contrato por mais quatro lutas e podem ter certeza que vou treinar muito, estar sempre focado para dar um show ao público e fazer lutas melhores. Essa última luta eu quero esquecer (risos), não foi uma luta boa, perder no primeiro round é muito ruim, principalmente porque você se prepara por tanto tempo para isso, e acabar tão rápido, é decepcionante. A próxima vai ser muito melhor, estou ajustando todos os erros que cometi, melhorando várias coisas no meu jogo, então podem ter certeza que vai vir um Turman muito melhor na próxima luta.

– Planos para o seu futuro dentro da organização

Eu tenho muito para mostrar no UFC ainda, eu amo trabalhar nessa empresa, o UFC mudou a minha vida totalmente, então sou muito grato. Renovei meu contrato e me visualizo sempre como campeão, com o cinturão, porque eu sei do meu potencial. Mas é um passo de cada vez, agora estou vindo de derrota, sem muita moral (risos), mas eu vou dar a volta por cima e voltar mais forte. Mais para frente eu vou estar entre os melhores, no topo. É assim que eu me vejo, e estou trabalhando muito para isso acontecer no futuro.

* Por Mateus Machado 

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade