Dobradinha brasileira: Deiveson e Jennifer disputam cinturões peso-mosca contra Garbrandt e Shevchenko no UFC 255

Publicado em 08/08/2020 por: Diogo Santarém
Dobradinha brasileira: Deiveson e Jennifer disputam cinturões peso-mosca contra Garbrandt e Shevchenko no UFC 255 Deiveson fará sua primeira defesa de título contra Cody Garbrandt (Foto reprodução Instagram)

publicidade

Dois brasileiros em alta no UFC estarão envolvidos em disputas de cinturão na divisão dos moscas no dia 21 de novembro, segundo divulgou a ESPN americana. Campeão entre os homens, Deiveson Figueiredo defenderá seu título pela primeira vez contra Cody Garbrandt, enquanto Jennifer Maia vai desafiar Valentina Shevchenko, dona do título feminino. Os confrontos vão liderar o card do UFC 255, que apesar da data definida, ainda não teve o seu palco anunciado.

Aos 32 anos e dono de um cartel com 19 vitórias e apenas uma derrota no MMA profissional, Deiveson conquistou o cinturão peso-mosca do UFC no último dia 18 de julho, quando finalizou Joseph Benavidez ainda no primeiro round. Foi a segunda vitória seguida do brasileiro sobre Benavidez. No primeiro duelo, o “Deus da Guerra” triunfou por nocaute, mas ficou sem o título por ter falhado na pesagem.

Adversário de Deiveson na primeira defesa de título do paraense, Cody Garbrandt é ex-campeão peso-galo e fará sua estreia na divisão dos moscas. Aos 29 anos, o americano vem de vitória sobre Raphael Assunção.

Co-main event terá Valentina x Jennifer pelo cinturão feminino (Foto reprodução Instagram)

Jennifer recebe chance contra campeã

Dito e feito. Após Dana White, presidente do UFC, afirmar que a brasileira Jennifer Maia seria a próxima desafiante ao título peso-mosca feminino, veio o anúncio. Desde 2018 no Ultimate, Jennifer tem três triunfos e duas derrotas na organização, e no último dia 1º de agosto, carimbou seu passaporte para enfrentar Valentina Shevchenko com uma finalização no primeiro round diante de Joanne Calderwood.

Aos 32 anos – um ano mais velha que Jennifer -, Valentina Shevchenko é uma das campeãs mais dominantes do UFC e ostenta o cinturão desde 2018. A lutadora do Quirguistão, mas radicada no Peru, vem de um resultado positivo sobre Katlyn Chookagian, em janeiro, e acumula 19 vitórias e três derrotas no cartel.

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Instagram
Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade