Doping no Jiu-Jitsu: especialista fala sobre o uso de esteroides anabolizantes e alerta para possíveis malefícios à saúde

Publicado em 18/08/2020 por: Mateus Machado
Doping no Jiu-Jitsu: especialista fala sobre o uso de esteroides anabolizantes e alerta para possíveis malefícios à saúde Médico Mozart Morais com Augusto Sakai, lutador peso-pesado do UFC (Foto reprodução Instagram @drmozartmorais)

publicidade

> PROJETO SUA OPINIÃO

* Assunto cercado de polêmica, o doping no Jiu-Jitsu gera inúmeros questionamentos. Afinal, esteroides anabolizantes ajudam no esporte? Decidem campeonatos? Quais as consequências do uso dessas substâncias a longo prazo? É possível ser um atleta limpo e ter resultados expressivos? Os campeonatos deveriam ter testagem antidoping regular para todos os lutadores?

Entre essas e outras perguntas que surgem durante a discussão do tema, a TATAME, através de sua conta oficial no Instagram, lançou uma publicação acerca do assunto e nossos seguidores participaram ativamente do debate. Além disso, conversamos com Mozart Morais, médico formado pela PUC-PR e pós-graduado em Medicina do Esporte pelo Instituto HZM. Também praticante de artes marciais, o profissional falou com mais profundidade sobre o tema, voltando-se para o uso de anabolizantes, e ressaltando a importância da indicação médica e acompanhamento de profissionais capacitados para que o uso de tais substâncias.

“A testosterona é o principal hormônio responsável por força, ganho de massa magra e performance. Atua muito também na imunidade, sensação de bem-estar, recuperação muscular. Seu uso deve ser feito exclusivamente sob indicação médica. A meta da reposição de testosterona deve ser sempre a saúde e não apenas performance esportiva. O Jiu-Jitsu ainda não é um esporte olímpico, portanto, o antidoping ainda é escasso no esporte. O grão mestre Carlos Gracie sempre dizia que o Jiu-Jitsu é o esporte em que o mais fraco pode ganhar do mais forte. O problema é que, infelizmente, muitas pessoas treinam pouco a técnica e querem ganhar na força apenas. Aí o esporte perde o sentido de ser chamado de ‘arte suave’. A técnica sempre deve ser soberana”, disse Mozart, que também abordou de que maneira os atletas podem atingir uma alta performance no esporte sem precisar fazer o uso de esteroides anabolizantes.

“Primeiramente, temos que lembrar que a dieta representa aproximadamente 60% de todo o resultado do atleta, e que 30% do rendimento vem do treino. Ou seja, 90% da base do atleta é feita por treino e dieta. O doping apenas potencializa o que a pessoa já tem de bom. O problema é que temos muitos competidores e poucos atletas de verdade. Estes (atletas) são aqueles que seguem à risca o planejamento da equipe de preparação física, nutricionista e médico. Não existe algo mágico que vai transformar a pessoa em um super homem do dia para a noite, o que existe é trabalho árduo, treinamento sério e persistência. Eu sempre falo que ‘o que nos define é a nossa constância’. Mantenha a sua rotina de treinos e dieta que o resultado virá”.

Por fim, o especialista ainda analisou os malefícios à saúde que o uso de anabolizantes de uma forma indevida e sem acompanhamento médico pode causar, a médio e a longo prazo, para o lutador de Jiu-Jitsu.

“Os anabolizantes, quando mal utilizados, podem causar queda de cabelo, oleosidade de pele, espinhas, engrossamento da voz em mulheres, desenvolvimento de mama em homens… Podem também aumentar a pressão arterial e podem causar trombose (aumentando a chance de infarto ou derrame). Sem contar que aumenta a atividade do fígado, podendo causar uma hepatite medicamentosa. O músculo cresce muito mais rápido que o tendão, havendo, assim, aumento na incidência de lesão muscular, com ruptura de tendão. Não há como utilizar um recurso hormonal sem a prescrição e acompanhamento médico”, finalizou.

Confira algumas opiniões dos seguidores da TATAME:

“Isso é um assunto muito amplo, com vários fatores envolvidos. Mas a realidade é que o atleta de alto rendimento sempre precisa de algo para melhorar sua performance, e isso abre margem para questionamentos e críticas. A maneira na qual a sociedade enxerga isso hoje parece que se torna constrangedor para os atletas”. (Luis Marques, atleta faixa-preta de Jiu-Jitsu)

“Não só no Jiu-Jitsu (os atletas fazem uso de substâncias para aumento de performance). Quase impossível suportar a demanda de treinos em alto nível sem a ajuda de ‘aditivos’. Meu palpite é que uma quantidade expressiva toma. Uns com uma orientação melhor, mas outros nem tanto”. (André Pacheco)

“Acho que está na hora de esteroides serem legalizados em alguns esportes, até pra evitar lesões e desgaste físico, tudo com acompanhamento médico. Esteroides não são bicho de 7 cabeças”. (Danilo Freitas) 

“Eu creio que ajuda e muito (o uso de esteroides anabolizantes), principalmente no quesito força bruta e até mesmo no gás. Mas se colocarem exames em todos os atletas, acho que estarão aptos 30%, no máximo, porque na faixa-preta já tem exames, mas só dos medalhistas e eventos internacionais”. (Vinícius Barros)

* Por Mateus Machado

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade