Gabriel Rollo comemora finalização contra Caio Almeida no BJJ Stars e torce para que duelo com Do Bronx seja remarcado

Publicado em 28/08/2020 por: Mateus Machado
Gabriel Rollo comemora finalização contra Caio Almeida no BJJ Stars e torce para que duelo com Do Bronx seja remarcado Após vitória contra Caio Almeida, Rollo quer que duelo contra Do Bronx seja remarcado (Foto Carol Haber)

publicidade

* Faixa-preta de Jiu-Jitsu desde 2010, Gabriel Rollo teve uma atuação de gala no BJJ Stars, realizado no final de julho, em São Paulo. Inicialmente, o atleta enfrentaria Charles do Bronx no card, todavia, o lutador do UFC sofreu uma lesão e acabou sendo substituído por Caio Almeida, que entrou no evento com poucos dias de antecedência. Com uma bela atuação, Rollo precisou de quatro minutos para pegar as costas do adversário e vencer com justo estrangulamento, sendo um dos destaques.

Apesar do bom resultado diante de Caio Almeida, Gabriel Rollo deixou bem claro que, num futuro próximo, espera ter uma nova oportunidade de enfrentar Charles do Bronx, que além dos seus combates no Ultimate, onde vive grande fase – no Top 6 dos leves -, também se aventura em lutas casadas na arte suave.

“Fazer lutas interessantes é sempre bom, me motiva. Eu gosto de me testar e ele (Charles do Bronx) é um cara muito perigoso e explosivo. Espero que ocorra um dia essa luta, vamos aguardar para ver se, de fato, ela acontece”, afirmou o experiente atleta da Checkmat, em entrevista exclusiva à TATAME.

Confira o restante do bate-papo com Gabriel Rollo: 

– Mudança de adversário pouco antes do BJJ Stars

Então, ele (Charles do Bronx) foi trocado uns cinco dias antes do evento, mas como eu estava preparado para lutar, pra mim ficou indiferente. Lógico que eu esperava um jogo de começo mais explosivo, mas na troca com o Caio (Almeida), a única coisa diferente foi que ele tem mais experiência lutando Jiu-Jitsu e está sempre treinando e lutando. Não tem como mudar o jogo, a estratégia mudou muito pouco. Contra o Charles, eu ia tentar chamar para a guarda e, com o Caio, eu deixei ele puxar para a guarda, desenrolando.

– Avaliação do triunfo contra o Caio Almeida

Eu já tinha lutado com ele, já sabia um pouco do que ele fazia. Eu tentei anular a meia guarda dele, que é chata de passar, e consegui ir para as costas onde eu me sinto confortável. Depois, não perdi a posição.

– Crescimento dos eventos de lutas casadas no Brasil

O surgimento desses eventos de lutas casadas só nos ajuda como atletas. Além de nos promover, eles pagam melhor que os campeonatos tradicionais. A gente que é lutador se sente como atleta de verdade, não pagando para lutar, como ocorre nos eventos tradicionais, mas sim sendo pagos para lutar, como em qualquer outro esporte profissional. Eu espero que isso só cresça no nosso país, e mundo afora também.

– Metas alteradas com a pandemia do coronavírus

Minha meta era, com certeza, lutar no Mundial da IBJJF. Estava focado nele e tinha certeza que eu ia ter minha melhor performance dentro dos Mundiais. Mas tudo tem seu tempo, espero ano que vem voltar.

– Treinos e planos para o restante do ano de 2020

Está tudo muito incerto ainda por conta da questão envolvendo a pandemia. Eu acredito que até ter a vacina para o vírus, os governantes não vão deixar fazer campeonatos. Eu sigo treinando normalmente, minha expectativa são de que esses eventos de lutas casadas me chamem para lutar. Não vejo a hora de retornar.

* Por Mateus Machado

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade