Para cumprir regras sobre a pandemia e aumentar relação com os alunos, DC Fighters cria aplicativo exclusivo; saiba

Publicado em 14/08/2020 por: Yago Redua
Para cumprir regras sobre a pandemia e aumentar relação com os alunos, DC Fighters cria aplicativo exclusivo; saiba

publicidade

A retomada das escolas de artes marciais não tem sido nada fácil por conta da pandemia do novo coronavírus. O “novo normal” requer muito mais atenção e cuidados com higiene das pessoas e do ambiente, por exemplo. Para cumprir as regras da Secretaria de Saúde e a Vigilância Sanitária do Rio de Janeiro, o professor Daniel Cabral, líder da DC Fighters, na Zona Oeste, criou um aplicativo exclusivo para a academia.

Os alunos não podem treinar todos juntos como antigamente. Agora, é necessário uma marcação do tatame, limite de pessoas em uma determinada área e o aplicativo veio como ferramenta para organizar este aspecto, como contou o faixa-preta à TATAME.

“A ideia de criar o aplicativo veio mediante a necessidade que eu tive de me adaptar as novas regras. Como eu tenho vários alunos, tive que fazer a divisão de horários, demarcar os espaços no tatame e limitar a quantidade de atletas. Eu imaginei que se não tivesse organização, ficaria bagunçado. Eu procurei aplicativos que marcassem aulas, mas não queria apenas isso. Eu desejava um aplicativo mais elaborado. Então, junto com um programador, personalizamos um app e ficou algo espetacular”, comentou o professor.

Além da marcação de aulas, o APP também serve para pagar as mensalidades e abriu um canal mais direto entre a academia e os alunos – o que antes era feito pelas redes sociais. Segundo Daniel, a através do aplicativo é possível direcionar as informações de eventos que vão acontecer na DC Fighters ou a divulgação de promoções exclusivas de seus apoiadores. Em uma das ferramentas, chamada “sala de aula”, o faixa-preta tem utilizado para criar palestras sobre diversos temas, com profissionais qualificados.

Daniel Cabral afirmou que a aceitação entre os alunos foi total e rápida: “O primeiro mês foi de adaptação e fizemos uns vídeos tutoriais para ensinar a galera a mexer em todas as ferramentas. Os alunos foram testando, gostaram e o feedback está sendo bem bacana”, concluiu o professor e líder da DC Fighters.

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Instagram
Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade