Com luta marcada no SFT 22, Karine ‘Killer’ fala sobre ‘peso’ de disputar título, mas afirma: ‘Força de vontade é maior’

Publicado em 29/09/2020 por: Mateus Machado
Com luta marcada no SFT 22, Karine ‘Killer’ fala sobre ‘peso’ de disputar título, mas afirma: ‘Força de vontade é maior’ Karine Killer disputará o cinturão peso-galo do SFT contra Gisele Moreira (Foto: Edu Rocha/SFT)

publicidade

* Atualmente com 26 anos e um cartel de 12 vitórias e quatro derrotas no MMA profissional, Karine “Killer” Silva está prestes a fazer a luta mais importante da sua carreira até o momento. Natural de Dourados, a atleta vai disputar o cinturão peso-galo do SFT, mais precisamente no card que vai marcar a edição do “Outubro Rosa”, evento que já virou tradição na organização presidida por David Hudson.

Embalada por três vitórias consecutivas, sendo uma delas pelo SFT, em fevereiro deste ano, quando derrotou Simone Silva por finalização (chave de tornozelo) no SFT 21, Karine terá como oponente a experiente Gisele Moreira, de 39 anos, que também vem de triunfo na franquia, em outubro do ano passado, quando venceu Daiane Firmino por unanimidade no SFT 17. Em entrevista à TATAME, “Killer” falou sobre sua preparação para o importante confronto.

“Estou bem focada nos meus treinos, na preparação para essa luta como um todo. Conto com pessoas maravilhosas me ajudando em meu camp e está tudo ocorrendo da melhor forma possível. Claro que quando se trata de uma disputa de cinturão, o peso é maior, só não é maior do que a minha força de vontade”, disse a casca-grossa.

Profissional nas artes marciais mistas desde 2013, Karine Killer ainda tem um longo caminho a percorrer na modalidade, todavia, já tem uma boa bagagem no esporte, o que a possibilita estar pronta para superar adversidades, até mesmo as mais inesperadas, como a pandemia do coronavírus. Questionada sobre o que a pandemia afetou em seu dia a dia, a lutadora revelou que precisou mudar alguns detalhes nos treinamentos, mas garante que está se adequando da melhor maneira para proporcionar um bom combate aos fãs de MMA.

“A pandemia causada pelo coronavírus fez com que saíssemos, de certa forma, da zona de conforto dos treinos e nos adaptássemos a treinos com maiores restrições. Acredito que não está sendo fácil pra ninguém, porém, seguimos trabalhando e se adequando da melhor forma. Estamos trabalhando diariamente para chegar bem no dia da luta e fazer uma grande apresentação para o público”, concluiu.

* Por Mateus Machado

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade