Daniel Cormier anuncia oficialmente aposentadoria do MMA: ‘É preciso saber quando chega a hora de parar’

Publicado em 01/09/2020 por: Mateus Machado
Daniel Cormier anuncia oficialmente aposentadoria do MMA: ‘É preciso saber quando chega a hora de parar’ Daniel Cormier, aos 41 anos, anunciou sua aposentadoria do MMA (Foto reprodução Instagram @dc_mma)

publicidade

Derrotado por Stipe Miocic no UFC 252, realizado no dia 15 de agosto, Daniel Cormier, antes mesmo do encerramento da trilogia, afirmou em entrevistas que essa seria sua última luta no MMA. O duelo ocorreu e, na entrevista após o evento, o americano não foi totalmente claro se, de fato, encerraria sua carreira na modalidade. No entanto, na última segunda-feira (31), em declaração emitida em seu programa semanal na ESPN americana, “DC” confirmou oficialmente o fim de sua trajetória como lutador nas artes marciais mistas.

“Eu não vou mais lutar. Eu conversei com Joe Rogan (comentarista do UFC) após a luta e lhe disse que meu interesse era lutar por títulos, e não posso imaginar lutar pelo cinturão com uma derrota. Eu perdi duas lutas seguidas pela primeira vez na minha carreira. Você tem que entender quando é a hora de parar, e a realidade é que parte da razão de eu levar aquela mão direita do Stipe é porque estou mais velho. Não dá para combater o tempo. (…) Todo dia que passa não funciona a meu favor”, admitiu o lutador de 41 anos.

Daniel Cormier ainda ressaltou que não deixou explícita sua aposentadoria do MMA logo após o combate em respeito ao momento especial de Stipe Miocic, que saiu vencedor por decisão unânime dos jurados e manteve o cinturão peso-pesado em sua posse. O experiente atleta falou que a idade está dificultando cada vez mais seu ritmo de luta, o que influenciou diretamente em sua decisão de encerrar a carreira.

“Todos esses jovens, eles continuam a melhorar e a treinar e melhorar, e continuam jovens, muito mais jovens. Mesmo quando Jones e eu lutamos pela primeira vez, eu tinha 35 anos, ele tinha uns 26 ou 25. Esses caras ainda são novos. Todo dia que passa, meu tempo fica cada vez mais no retrovisor. Não vou lutar mais. Me entristece ver caras como Robbie Lawler (ex-campeão meio-médio) enfrentando adversários que, há alguns anos, por mais talentoso que o Neil Magny seja, não acho que seria uma luta tão dura para Robbie na sua época. Robbie hoje é batido por 30-26 pelo Neil Magny na co-luta principal de um Fight Night depois de protagonizar lutas clássicas com Rory (MacDonald). Isso é horrível. Ele só tem 38 anos. Não quero dizer que Robbie Lawler não deveria mais lutar, mas, aos 41, o que mais eu vou fazer? Enfrentar algum cara aleatório? Ser escada para alguém construir seu nome? Não preciso disso na minha carreira”, disparou o americano.

Por fim, “DC” revelou que não fará mais parte do grupo de testes da USADA (Agência Antidoping dos Estados Unidos), responsável por controlar e impedir o uso de substâncias proibidas no UFC. O americano, ex-campeão meio-pesado e peso-pesado da organização, também reforçou que não pretende “voltar atrás”.

“Sinto que estou fechando a porta nisso – acabou. E não estou triste com isso. Não estou triste. Vou sentir saudades. Vou sentir falta dos camps de treinamento, vou sentir falta das lutas. Não tem nada como a semana de uma luta, mas você tem que entender quando é sua hora. Sinto que é minha hora”, concluiu.

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade