André Sergipano ‘destrincha’ jogo de adversário no UFC Vegas 9 e mira nocaute: ‘Ele fica afobado quando leva porrada’

Publicado em 03/09/2020 por: Mateus Machado
André Sergipano ‘destrincha’ jogo de adversário no UFC Vegas 9 e mira nocaute: ‘Ele fica afobado quando leva porrada’ André Sergipano vai em busca de sua segunda vitória no Ultimate (Foto reprodução Instagram @andremunizsergipano)

publicidade

* Contratado pelo Ultimate em 2019 após se destacar na edição brasileira do reality show Contender Series, André Sergipano fez sua estreia na organização em novembro e, diante do compatriota Antônio Arroyo, teve boa atuação saindo vencedor por decisão unânime no UFC São Paulo. Meses se passaram, a pandemia do coronavírus se espalhou pelo mundo e atrapalhou os planos do lutador, que neste período, chegou a ter uma luta cancelada por conta da crise sanitária.

Apesar disso, Sergipano está pronto para retornar ao cage. No sábado (5), o atleta de 30 anos será um dos brasileiros em ação no card do UFC Fight Night 176, em Las Vegas (EUA), e terá pela frente o polonês Bartosz Fabinski, que chegou a ter uma passagem pelo Ultimate entre 2015 e 2018, fez uma apresentação no Cage Warriors, e agora volta à organização. Em entrevista à TATAME, Sergipano fez uma análise do seu oponente e, apesar de ter o Jiu-Jitsu como principal arma, reconheceu que a luta em pé pode ser um trunfo.

“Eu sei que ele é oriundo do Judô, gosta de fazer as lutas em três rounds, mas uma coisa que percebi é que ele fica meio afobado a partir do momento que apanha, leva umas porradas, então uma arma para vencer essa luta pode ser a trocação, mesmo eu sabendo que o Jiu-Jitsu é meu carro-chefe”, destacou o faixa-preta.

Confira a entrevista completa com André Sergipano:

– Impactos da pandemia e preparação para enfrentar o Fabinski

Foi uma preparação muito boa, no final das contas. No começo da pandemia, fiquei na minha cidade natal, Montes Claros (MG), e mantive os treinos em casa, junto com a minha esposa, já que nós dois somos formados como profissionais da Educação Física. Porém, há dois meses consegui viajar para o Rio de Janeiro, assim como já faço nos últimos anos, e fiz a minha preparação na TFT, que conta com uma galera de alto nível. Pude me preparar bem e estou pronto para anotar mais uma vitória no currículo, se Deus quiser.

– Luta cancelada em meio à pandemia e expectativa para retornar

Minha última luta foi em novembro, quando estreei no UFC. Eu já estava até com luta marcada para esse ano, o contrato estava assinado, mas por conta da pandemia, ela precisou ser adiada, infelizmente. Me mantive ativo e sabia que em algum momento a oportunidade apareceria novamente. Estou muito animado e ansioso para mostrar serviço, tenho certeza que os fãs vão poder acompanhar uma grande luta.

– Análise do jogo do Bartoz Fabinski e estratégia para a vitória

Estudando o jogo dele juntamente com a minha equipe, pude ver que ele é mais da luta agarrada, assim como eu. Eu também sei que ele é oriundo do Judô, gosta de fazer as lutas em três rounds, mas uma coisa que percebi é que ele fica meio afobado a partir do momento que apanha, leva umas porradas, então uma arma para vencer essa luta pode ser a trocação, mesmo eu sabendo que o Jiu-Jitsu é meu carro-chefe.

– Evolução na luta em pé apesar de o Jiu-Jitsu ser o carro-chefe

Me sinto bem seguro na trocação, venho trabalhando muito a luta em pé já há alguns anos, com meu mestre Philip Lima. Na luta contra o Arroyo, inclusive, quando fiz minha estreia no UFC, eu conectei um soco que balançou ele, mas vi que ele machucou o braço, então o caminho natural foi tentar levar a luta para o chão, trabalhar a área afetada dele e buscar a finalização, mas eu estava bem seguro na trocação. Vou buscar a trocação no começo da luta contra o Fabinski e, se tudo ocorrer como planejado, é nocaute.

– Sequência de combates para chegar ao ranking peso-médio 

Eu procuro pensar em cada luta, venci na minha estreia, tive uma boa atuação, agora o foco é nessa luta de sábado, onde espero ter uma boa atuação e, dando tudo certo, vencer com uma finalização ou um nocaute, o que é sempre bom. Óbvio que nosso foco é o crescimento, chegar ao Top 15, mas é uma categoria bem disputada, então eu estou trabalhando diariamente para ir em busca dos objetivos. Quero me manter ativo, ter uma sequência de lutas, pois só assim eu vou alcançar o ranking e subir posições aos poucos.

CARD COMPLETO:

UFC Fight Night 176
UFC Apex, em Las Vegas (EUA)
Sábado, 5 de setembro de 2020

Card principal (21h, horário de Brasília)
Peso-pesado: Alistair Overeem x Augusto Sakai
Peso-meio-pesado: Ovince St. Preux x Alonzo Menifield
Peso-galo: Sijara Eubanks x Karol Rosa
Peso-meio-médio: Michel Pereira x Zelim Imadaev
Peso-pena: Brian Kelleher x Kevin Natividad
Peso-leve: Thiago Moisés x Jalin Turner

Card preliminar (19h, horário de Brasília)
Peso-médio: André Sergipano x Bartosz Fabinski
Peso-mosca: Viviane Araújo x Montana de la Rosa
Peso-pesado: Alexander Romanov x Marcos Pezão
Peso-galo: Cole Smith x Hunter Azure

* Por Mateus Machado

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade