Ex-presidente do UFC Brasil, Giovani Decker fala sobre próxima edição do BJJ Stars: ‘Vamos entregar um grande evento’

Publicado em 29/09/2020 por: Mateus Machado
Ex-presidente do UFC Brasil, Giovani Decker fala sobre próxima edição do BJJ Stars: ‘Vamos entregar um grande evento’ Giovani Decker falou sobre a expectativa para mais uma edição do BJJ Stars (Foto: Divulgação)

publicidade

A mais nova edição do BJJ Stars já tem data marcada. No dia 14 de novembro, o maior evento de lutas casadas de Jiu-Jitsu do Brasil irá realizar mais um grande show e promete entregar um card estelar e com premiação altíssima em dinheiro. Dessa vez, a competição contará com um GP dos médios, onde o campeão receberá 100 mil reais em premiação, além de série de superlutas, com nomes como Gabi Garcia, Bia Mesquita e Serginho Moraes já confirmados no card.

Mas o reforço não está apenas dentro dos tatames. Fora, o BJJ Stars conta com um nome de peso na organização e no planejamento. Ex-presidente do UFC Brasil e com a experiência de ter sido diretor de grandes empresas esportivas, como Asics e New Balance, Giovani Decker tem levado toda a expertise como empresário para que o BJJ Stars seja mais que um evento esportivo.

“Estamos organizando o BJJ Stars como uma empresa, para ter uma realidade de dia a dia, com funcionários, e não só para fazer um ou dois eventos por ano. Então, eu acho que nisso a minha experiência ajuda, assim como as dos meus demais sócios. Temos feito uma coisa bem profissional. Sempre falo que temos que correr uma maratona e não 100 metros rasos. Então, nosso pensamento é de longo prazo, é de cinco anos”, explicou Decker.

Em entrevista exclusiva, Giovani Decker disse como pretende contribuir para o crescimento do evento, revelou os planos do BJJ Star para o próximo ano e falou sobre a expectativa para a edição do dia 14 de novembro (as vendas de PPV para a próxima edição começaram no dia 25 de setembro, com preço promocional). Além do PPV, ele espera que até o dia do evento aumente a flexibilização e seja permitido entre 20 e 30% de público no ginásio.

Confira a seguir a entrevista completa.

– O próximo BJJ Stars já foi anunciado. Como está o planejamento e qual a expectativa para esse evento?

O card já está fechado e estamos dando bastante destaque para as mulheres. Terá bastante luta feminina. Como já é característica do BJJ Stars, estamos trazendo novos talentos. O Erich Muniz fará a sua primeira luta na faixa-preta contra o Victor Hugo. Temos mais algumas lutas para anunciar e, sem dúvida, todos os fãs do Jiu-Jitsu estarão ansiosos para ver esse evento. Outra luta que também é destaque é a luta da Gabi Garcia, que depois de muito tempo está voltando a lutar no Brasil. É um card estelar, carregando tudo o que o BJJ Stars promete, que é fazer lutas com lendas da arte suave, atletas em ascensão e novos talentos.

– Quando começam as vendas da transmissão online?

O planejamento está concluído. Começamos as vendas no dia 25 de setembro, dividido em lotes. Com isso, daremos a chance do fã comprar mais cedo e com preço mais acessível. Quem é assinante da nossa base começou a comprar no dia 25 com uma promoção especial. Estamos bastante animados e confiantes com o evento. A gente vê que o cenário do Jiu-Jitsu está crescendo e esperamos fazer um evento que fique na memória dos fãs por muito tempo.

– O card do BJJ Stars tem sido muito elogiado por realizar combates entre grandes nomes do Jiu-Jitsu. Como é esse processo? O fato de você ter sido presidente do UFC no Brasil te ajuda a elaborar um bom show com o Fepa (Lopes) e os outros sócios?

O Fepa é quem monta os cards. Eu procuro dar uma ajudada, assim como fazia no UFC, em termos de fazer um balanço. Analisar novos talentos, dar uma misturada no card com lutas masculinas e femininas, trazer alguma coisa inédita. É mais balancear o card, porque quem monta o card é o Fepa, que pra mim, é o melhor matchmaker de Jiu-Jitsu do mundo.

– A premiação em dinheiro também é um grande diferencial do BJJ Stars. Quanto será distribuído em premiações na próxima edição?

Por questões estratégicas, nós não divulgamos quanto pagamos no card completo, mas o GP será uma das maiores premiações do cenário. O campeão do GP dos médios levará 100 mil reais em premiação. Ano passado fizemos um GP dos meio-pesados que também pagou 100 mil reais ao campeão. É um prêmio interessante para o atual momento do Jiu-Jitsu e esperamos que, o esporte crescendo, a gente consiga dar premiações ainda maiores para os atletas.

– Você já foi executivo da Asics, presidente do UFC no Brasil, e hoje está na New Balance. Com a sua experiência como diretor de grandes empresas, em que ponto você acha que mais pode contribuir para um evento como o BJJ Stars?

Tanto eu quanto o meu sócio temos trazido organização e pensamento de longo prazo. Na questão de budget para os eventos, nós somos muito disciplinados. Acho que trazemos uma visão mais empresarial para a luta. Estamos organizando o BJJ Stars como uma empresa, para ter uma realidade de dia a dia, com funcionários, e não só para fazer um ou dois eventos por ano. Então, eu acho que nisso a minha experiência ajuda, assim como as dos meus demais sócios. Temos feito uma coisa bem profissional. Sempre falo que temos que correr uma maratona e não 100 metros rasos. Então, nosso pensamento é de longo prazo, é de cinco anos. No mundo da luta a gente sabe que muita gente entra e acaba não fazendo conta, e nós estamos bem pé no chão, fazendo as coisas da maneira correta, para daqui a cinco anos estarmos com uma empresa saudável.

– A última edição do BJJ Stars foi o primeiro evento de Jiu-Jitsu no Brasil em meio à pandemia. Certamente vocês encontraram muitas dificuldades. Como acredita que será agora, com uma maior flexibilização?

A gente espera que tenha ainda mais flexibilização. No último foi bem difícil. Criamos todo um protocolo de segurança, mas não foi uma situação normal. Tudo muito diferente, para não dizer estranho. Esperamos que para o evento de novembro já tenha uma flexibilização maior para termos 20 ou 30% de público no local onde faremos evento. Com torcida, o evento ganha muito em emoção.

– Quais são os planos depois desta edição de novembro?

O que eu posso adiantar é que ano que vem queremos fazer pelo menos quatro eventos. Agora no final do ano, se não tivermos as datas exatas, pelo menos queremos divulgar os meses. O BJJ Stars veio para ficar. Estamos pensando a longo prazo e no crescimento do esporte. Vamos entregar um grande evento para todos os fãs do Jiu-Jitsu.

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade