GM Flávio Behring relembra início do filho Sylvio na arte suave e destaca: ‘Sem dúvida, é um professor expoente no esporte’; veja

Publicado em 03/09/2020 por: Diogo Santarém
GM Flávio Behring relembra início do filho Sylvio na arte suave e destaca: ‘Sem dúvida, é um professor expoente no esporte’; veja (Foto reprodução TATAME #263)

publicidade

* Atualmente com 82 anos, o GM Flávio Behring é um dos grandes nomes da história do Jiu-Jitsu. Praticante da arte suave desde os 10, o hoje faixa-vermelha, teve em seu início de trajetória a companhia e ensinamentos de nomes como os GMs Hélio Gracie e João Alberto Barreto, além de ter dividido os tatames com Carlson Gracie, Hélio Vígio, Armando Wridt e muitos outros. Uma verdadeira lenda!

LEIA A TATAME #263 ONLINE, AQUI

Ao longo de sua caminhada, Flávio foi responsável por compartilhar seus ensinamentos com diversos praticantes da arte suave, primeiro ainda aos 20 anos, em uma academia que João Alberto Barreto fundou em Ipanema (RJ). Já na década de 1970, com a companhia de Ricardo Murgel, abriu uma academia na Barra da Tijuca, também no Rio. Anos depois, a partir da década de 90, Behring, juntamente com seu filho Marcelo – falecido em 1994 –, foi um dos grandes responsáveis pelo desenvolvimento do Jiu-Jitsu em São Paulo, e com seu “clã”, tendo como grande aliado o também filho Sylvio Behring, ao longo dos anos, fundamentou um sistema especial para a prática da modalidade, tendo como base a defesa pessoal e outros princípios do esporte.

“Desde que eu comecei a praticar Jiu-Jitsu, com 10 anos, na casa do Hélio Gracie, eu tinha um sentimento em relação à prática e um desejo de dar continuidade a isso. Eu tinha uma série de restrições de saúde e só consegui me desvencilhar delas a partir dos 13 anos, quando eu tive a sensação de que o meu futuro, de alguma forma, seria dentro do Jiu-Jitsu. Quando me casei, em 1958, eu pensei em ter um filho e, assim, encaminhá-lo ao Jiu-Jitsu, e assim foi. Não foi planejado, mas foi desejado. Quando o Sylvio nasceu, eu já vislumbrava a possibilidade de colocá-lo na arte suave, tanto que ele começou a praticar com 4 anos de idade, na academia do GM João Alberto Barreto, assim como o Marcelo, também com 4 anos. Está aí o resultado (risos)”, resume o faixa-vermelha.

Também com uma grande história no Jiu-Jitsu, Sylvio Behring seguiu os caminhos do pai e já rodou por diversas partes do mundo a serviço da arte suave. Ao ser perguntado sobre as qualidades do seu filho, em um misto de alegria e emoção, Flávio afirmou que, tranquilamente, passaria horas falando sobre seu “herdeiro”, mas conseguiu resumir destacando a essência e a facilidade de Sylvio em transmitir conhecimento.

(Foto reprodução TATAME #263)

 

“As qualidades do Sylvio são inúmeras, mas essencialmente ele é uma pessoa extremamente sensível e como professor tem uma capacidade didática enorme e um profundo conhecimento pedagógico. Isso facilitou muito a vida dele, desde que ele começou a ter esse ‘start’ de ser professor, ainda quando era faixa-roxa, em Ipanema, onde tínhamos uma academia. Ele já lidava com os alunos da equipe se encaminhando para esse rumo. A principal qualidade era exatamente a capacidade de aprender e executar, e na execução, ter a capacidade de transmitir com precisão e segurança. Ele já nasceu feito para isso”.

Considerado um dos grandes nomes de sua geração, Sylvio é atualmente faixa-vermelha e preta de Jiu-Jitsu, além de ostentar a faixa preta no Judô. Tendo iniciado sua carreira nas artes marciais sob o auxílio luxuoso dos irmãos Barreto, particularmente com o GM Álvaro Barreto, Behring também ajudou no desenvolvimento da arte suave em diferentes regiões do Brasil, incluindo São Paulo e Porto Alegre, e viajou por vários países ao redor do mundo para cursos e seminários.

“A trajetória do Sylvio, sem dúvida alguma, é espetacular. Ele foi, desde cedo, uma pessoa que se destacou na questão de formação de alunos e campeões, já era uma coisa que estava dentro dele e ele teve essa capacidade de ir evoluindo isso. Ele sempre foi muito dedicado e consciente da responsabilidade que tinha na formação de pessoas. Acho que o Sylvio teve, acima de tudo, uma precisão para assimilar a essência do Jiu-Jitsu a partir do treinamento que ele fez com o João Alberto, comigo, e posteriormente com o Álvaro Barreto. Então, ele engrenou e, pra mim, é extraordinário ver o meu filho, que tanto me empenhei para que pudesse seguir esse rumo, chegar ao ponto que chegou, numa trajetória que não tem fim. Ele não só vai dar sequência a isso – tem muito caminho pela frente -, assim como tem seguidores que vão levar o seu nome adiante por toda a vida”, garante Flávio, que finalizou falando sobre o famoso Sistema Progressivo de Jiu-Jitsu, sucesso criado por Sylvio.

“Ele, sem dúvida, criou um sistema que facilita demais o aprendizado, a essência, a base e os fundamentos do Jiu-Jitsu. Esse sistema tem feito com que, em todas as partes que ele tem passado, o aprendizado tenha se tornado de fácil entendimento como uma arte sólida, uma arte de perspectiva e, acima de tudo, de autoconfiança e equilíbrio emocional. O Sylvio é um sujeito que entende do comportamento humano, consequentemente, o sistema montado por ele facilitou também para que as pessoas passassem a entender sob esse prisma. O Sylvio é, sem dúvida alguma, um professor expoente”, conclui o pai, orgulhoso da missão cumprida ao ver Sylvio sendo um dos grandes personagens na história do esporte.

* Por Mateus Machado

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Instagram
Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade