Gutemberg destaca ‘escola GFTeam’ em finalização sobre Rider Zuchi no BJJBET e ajuda de Júlio Cesar: ‘Energia única’

Publicado em 28/09/2020 por: Diogo Santarém
Gutemberg destaca ‘escola GFTeam’ em finalização sobre Rider Zuchi no BJJBET e ajuda de Júlio Cesar: ‘Energia única’ Gutemberg comemora vitória no BJJBET com beijo em Júlio Cesar Pereira (Foto Dai Bueno / TATAME)

publicidade

* Mostrando um jogo seguro e sede pela finalização, o casca-grossa Gutemberg Pereira foi um dos destaques do BJJBET, evento de lutas casadas que realizou sua primeira edição no último dia 6 de setembro. Em ação contra Rider Zuchi, o faixa-preta da GFTeam controlou o adversário e, quando teve a chance, encaixou um justo katagatame da montada.

Feliz com sua atuação e a estrutura montada pelo evento – que já programa uma segunda edição, para o fim de 2020 -, Gutemberg conversou com a TATAME e, além de elogiar a organização do BJJBET, ressaltou a ajuda do Mestre Júlio Cesar Pereira, líder da GFTeam, que esteve presente no seu córner em São Paulo.

“Foi um evento incrível, com um card repleto de lutas boas. Acho que nenhuma luta deixou a desejar. O BJJBET está de parabéns por toda a organização e tratamentos com os atletas. Eu já lutei muitos eventos, mas com certeza o BJJBET está ali entre os maiores. Várias lutas me chamaram atenção, mas acho que os triunfos do Roberto Cyborg, do Felipe Preguiça e a luta feminina foram as principais. Cyborg por ser como o vinho, né? Fica cada vez melhor com o tempo… O Preguiça se superou no começo da luta, uma lesão no pé, e o duelo das meninas foi uma ‘porradaria’, decidida só no finalzinho”, opinou Gutemberg, que completou.

“Ter o Júlio Cesar do lado é uma oportunidade única, a energia dele é contagiante e muitas das vezes ali, na hora da luta, ele acredita muito mais em mim do que eu mesmo. É muito bom ter uma pessoa assim ao seu lado diariamente. Sou muito grato ao Júlio por todos esses anos me treinando, sem dúvida”.

Ainda durante a entrevista, “Berg”, como é conhecido o baiano radicado no Rio de Janeiro, abordou sua estratégia para o combate contra Rider Zuchi e citou a importância da escola GFTeam na hora da finalização. De acordo com o faixa-preta, a montada é uma das suas posições mais fortes, treinada exaustivamente.

“O lance da finalização, quando você ganha a montada, na maioria dos casos, é uma questão de tempo até chegar na finalização por ser uma posição de total controle, e eu consegui aproveitar com o katagatame. Quando eu conseguir passar montando senti que ele estava um pouco cansado. É bem da escola GFTeam passar montando e jogar os braços do adversário pra cima, e eu já fiz isso tantas vezes em treino que vai no automático. Quando eu passei montando, já fui jogando o braço dele pra cima e conseguir abraçar a cabeça. Depois, esperei o momento certo para fazer o ajuste, uma vez que tinha muito tempo de luta ainda”.

Por fim, Gutemberg contou sobre alguns projetos pessoais, como sua mentoria: “Eu tenho trabalhado muito em alguns projetos pessoais e profissionais. Venho tendo muito trabalho com minha mentoria, graças a Deus, e em breve vou lançar uma turma no Brasil também. Eu e minha equipe já estamos estudando como vamos fazer isso, e estou muito feliz em poder fazer algo para a galera daqui também. Venho conciliando treinos e trabalho, mas a vida está indo bem e só tende a melhorar, com fé em Deus”, encerrou o lutador.

* Por Diogo Santarém

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade