Leandro Lo ‘afasta’ MMA e explica retorno ao peso médio para GP do BJJ Stars: ‘Eu gosto de desafios’

Publicado em 25/09/2020 por: Mateus Machado
Leandro Lo ‘afasta’ MMA e explica retorno ao peso médio para GP do BJJ Stars: ‘Eu gosto de desafios’ Leandro Lo será um dos atletas em ação no GP dos Médios do BJJ Stars (Foto: Luciana Alves)

publicidade

Um dos destaques do GP dos pesos médios da 4ª edição do BJJ Stars, marcado para o dia 14 de novembro, o heptacampeão mundial de Jiu-Jitsu Leandro Lo, que vem de desafios nas categorias mais pesadas, explicou o motivo de ter aceitado o convite para retornar aos médios. Segundo ele, os concorrentes na divisão proporcionam a possibilidade de lutas mais técnicas.

“Eu gosto de desafios. Acabei de fazer uma luta no absoluto, mais de 100 kg. Na categoria até 85kg eu me sinto bem, e não é difícil para mim atingir esse peso, porque eu desço de 90 kg, no máximo 92kg. E eu gosto de lutar na categoria até 85kg, porque nessa categoria os caras se mexem mais, fica melhor para usar a técnica”, explicou o faixa-preta.

Também disputam o prêmio de R$ 100 mil do GP os cascas-grossas Gustavo Batista, Jaime Canuto, Isaque Bahiense, Matheus Diniz, Otávio Sousa, Renato Canuto e Roberto Jimenez. O alto nível dos competidores é um entrave para Lo apontar aqueles que ele espera que sejam suas maiores pedras no sapato ao longo do torneio.

“Todos são duros, mas cada um tem o seu estilo. Quem está bem é o Matheus Diniz, Gustavo Batista, Roberto Jimenez, Isaque Bahiense, Canuto… todos são bons, não tem essa de mais fácil ou difícil, não. Ainda mais que é GP, chave de três lutas. Só vamos saber na hora da luta mesmo”, analisou o heptacampeão mundial.

Para aqueles que têm esperança de um dia ver Leandro Lo seguir o mesmo caminho de outros campeões mundiais, como seus amigos Rodolfo Vieira e Marcus Buchecha, e calçar as luvinhas de MMA, o faixa preta deixa claro que seu lugar é nos tatames.

“Por enquanto, zero chance, eu nem penso em entrar no MMA. Prefiro ficar no Jiu-Jitsu, porque senão teria que voltar do zero, treinar tudo de novo, buscar patrocínio. Para mim está bom o Jiu-Jitsu, eu gosto muito de lutar de quimono, então prefiro continuar porque está bom, né”, encerrou.

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade