Mayra Bueno exalta Mara Romero, projeta duelo no UFC Vegas 11 e diz: ‘Grappling dela é bom, mas vejo que o meu é melhor’

Publicado em 18/09/2020 por: Yago Redua
Mayra Bueno exalta Mara Romero, projeta duelo no UFC Vegas 11 e diz: ‘Grappling dela é bom, mas vejo que o meu é melhor’ Mayra Bueno quer reencontra as vitórias no UFC Vegas 11 no próximo sábado (19) (Foto: Reprodução/Instagram/@mayra_sheetara)

publicidade

* Oriunda do Contender Series, Mayra Bueno venceu em sua estreia no Ultimate, mas foi derrotada por Maryna Moroz na última apresentação. No sábado (19), contra Mara Romero Borella, a brasileira quer reencontrar o caminho das vitórias para ir em busca da renovação de contrato com a principal companhia de MMA do mundo.

A italiana vive uma situação delicada e coleciona três derrotas seguidas – correndo sérios riscos de ser demitida, caso sofra outro revés no sábado. A brasileira disse que espera enfrentar a melhor versão de Mara no cage.

“Vou ser bem sincera, ela tem um bom grappling, não sei o motivo dela ter tantas derrotas em sequência. Meu empresário até perguntou se eu tinha certeza de que queria lutar com ela, mas não tem problema ela vir de derrotas, eu gosto de lutar, independente do retrospecto da oponente. Acho que ela tem um grappling muito bom, mas vejo que o meu é melhor. No clinch, ainda vou poder usar cotoveladas e joelhadas”, disse a representante da Chute Boxe.

“Sheetara” comentou sobre o camp em meio à pandemia do novo coronavírus, como fez para manter a forma em Campinas, no interior de São Paulo, e analisou este começo de trajetória no UFC.

Confira abaixo outros trechos da entrevista com Mayra Bueno:

– Camp na pandemia para o UFC Vegas 11

Foi uma loucura (o camp). Tive que me adaptar para chegar bem neste evento. Foi uma loucura mesmo. A verdade é que ninguém está preparado para uma pandemia. Estou focada e pronta para um show.

– Como manteve a forma na pandemia

Foi um pouco engraçado (manter a forma durante a pandemia), porque eu moro em São Paulo e treino na Chute Boxe, mas eu fui para casa da minha sogra em Campinas, no interior. Aproveitei que tinha lutado e fiz um investimento de uma pequena academia no quintal dela, que é bem grande, por sinal. Fiquei pedindo luta o tempo todo para o UFC. Quando eles me ofereceram essa luta, disse na hora que estava pronta. Fiz umas mudanças na preparação, retornei pra São Paulo e os meus professores ajustaram o trabalho.

– Susto com informação do empresário

Foi uma coisa engraçada. A Glória vai lutar o Contender Series. Nós moramos juntos e temos o mesmo empresário. Ele me ligou e disse que a minha luta tinha caído e que não seria mais no dia 19. Entrei em pânico, comecei a chorar por causa de todo o investimento feito, foi um choque, mas eu acredito muito em Deus. Depois, ele (meu empresário), retornou e disse: “Puts, Sheetara, não foi você, foi a luta do Contender que caiu”. Foi, na verdade, a luta da Glória. É um estresse muito grande, porque você não sabe se vai passar nos testes (de Covid-19). Fico preocupada com os seus testes, dos meus córners e também da minha adversária. O UFC tem dado todo o respaldo. Não tenho nada a reclamar, eles me tratam como uma rainha.

– Mara pressionada com três derrotas

Isso é uma coisa muito complicada, porque eu, como atleta, nunca me senti pressionada com nada. Os meus treinadores até falam que eu não posso ser assim, mas não vou lá só para ganhar. Eu gosto de ir para dar show. Eu tenho que ficar entre os quatro destaques, vencendo ou não. Não sei como funciona a cabeça dela, mas acho que ela vai vir com vontade de ganhar e é a hora que eu me beneficio. Porque eu amo lutar e espero enfrentar a melhor versão dela no sábado.

– Balanço deste início dentro do Ultimate

Não me sinto pressionada com o UFC, digo que é a mesma coisa de lutar em um evento nacional. O UFC é show, mas se toda vez que você pisar no octógono e ficar falando que é o melhor evento do mundo e tal, você perde o seu foco. Eu não me sinto pressionado. Eu quero ser o melhor todo dia. Eu não deixo menos que o máximo dentro do cage. Assim que eu me divirto.

CARD COMPLETO:

UFC Fight Night 178
Las Vegas, Estados Unidos
Sábado, 19 de setembro de 2020

Card principal (21h, horário de Brasília)
Peso-meio-médio: Colby Covington x Tyron Woodley
Peso-meio-médio: Donald Cerrone x Niko Price
Peso-médio: Khamzat Chimaev x Gerald Meerschaert
Peso-meio-pesado: Johnny Walker x Ryan Spann
Peso-palha: Mackenzie Dern x Randa Markos
Peso-médio: Kevin Holland x Darren Stewart

Card preliminar (18h, horário de Brasília)
Peso-mosca: Mayra Sheetara x Mara Romero Borella
Peso-galo: Jordan Espinosa x David Dvorak
Peso-galo: Jessica-Rose Clark x Sarah Alpar
Peso-pena: Journey Newson x Randy Costa
Peso-galo: Andre Ewell x Irwin Rivera
Peso-pena: Darrick Minner x TJ Laramie
Peso-meio-médio: Miguel Baeza x Jeremiah Wells
Peso-mosca: Tyson Nam x Jerome Rivera

*Por Yago Rédua

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade