McGregor afirma que vai enfrentar Pacquiao e expõe conversas com Dana para ‘explicar’ aposentadoria

Publicado em 26/09/2020 por: Yago Redua
McGregor afirma que vai enfrentar Pacquiao e expõe conversas com Dana para ‘explicar’ aposentadoria Conor McGregor está aposentado do MMA pela terceira vez e cogita lutar Boxe (Foto: Reprodução/Instagram/@thenotoriousmma)

publicidade

Após o sucesso da superluta de Boxe contra Floyd Mayweather em 2017, Conor McGregor revelou nas redes sociais que vai encarar outra lenda da nobre arte: Manny Pacquiao. Segundo o ex-campeão dos penas e leves do UFC, o confronto será agendado para o fim deste ano ou início de 2021, no Oriente Médio.

“Enfim, são águas passadas, quem liga. Vou boxear contra Manny Pacquiao em seguida no Oriente Médio. Será uma verdadeira honra ter enfrentado dois dos maiores boxeadores da era moderna”, postou o irlandês no Twitter.

Audie Attar, empresário de McGregor, contou à ESPN americana que essa luta foi conversada com o UFC e a companhia “gostou da ideia”. O Ultimate ainda não se manifestou oficialmente sobre o assunto.

Prints de conversa com Dana

Aposentado recentemente pela terceira vez, Conor usou também as redes sociais para expor conversas privadas com Dana White, presidente do UFC. “Notorious” decidiu tomar essa atitude após ver uma entrevista do veterano Diego Sanchez, que encara Jake Matthews neste sábado, pelo UFC 253, dizendo que gostaria de se despedir do octógono contra McGregor. Antes de a pandemia do novo coronavírus interromper alguns eventos do UFC e mudar radicalmente a programação da companhia, McGregor chegou a pedir ao presidente do Ultimate para lutar contra o vencedor do TUF 1 em Dublin, na Irlanda.

O “Big Boss” respondeu a sugestão de McGregor: “nós (UFC) deveríamos perder nossa licença de matchmakers se casarmos esta luta”. O dirigente completou dizendo que o ideal seria o ex-campeão lutar na International Fight Week, que tradicionalmente acontece em julho, em Las Vegas (EUA). O desejo do lutador, que retornou ao cage em janeiro com vitória por nocaute sobre Donald Cerrone, era atuar em maio.

“Depois que você lutou com o (Michel) Pereira, eu havia pedido para eu e você lutarmos em Dublin. Isso foi em fevereiro, quando eu estava trabalhando para a minha temporada, antes de tudo (pandemia paralisar os eventos). Boa sorte neste fim de semana!”, postou McGregor, que usou os prints na sequência.


McGregor também afirmou que não recusou uma luta contra Tony Ferguson, porém não queria ser suplemente do combate entre o americano e o campeão dos leves Khabib Nurmagomedov. Além disso, contou que a opção por se retirar do esporte foi pelo fato de ter ouvido o boato de que só retornaria ao octógono quando os eventos voltarem a ter público – algo vetado neste momento de pandemia.

“Eu estava me esforçando muito para a temporada (2020). Vários oponentes, várias datas oferecidas por toda parte. Tudo para acontecer. Então, quando surgiu o boato que eu teria que esperar pela volta do público nas arenas para retornar. Afastei-me da situação. Eu estava esperando o suficiente nesta fase”.

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade