Presidenta do Conselho Nacional de Boxe, brasileira analisa 58ª Convenção Anual do WBC e sucesso em meio à pandemia

Publicado em 24/09/2020 por: Diogo Santarém
Presidenta do Conselho Nacional de Boxe, brasileira analisa 58ª Convenção Anual do WBC e sucesso em meio à pandemia Brasileira Geyza Caryny fez um balanço geral da 58ª Convenção Anual do WBC (Foto arquivo pessoal)

publicidade

* Mesmo com os problemas causados pela pandemia de Covid-19, o Conselho Mundial de Boxe (WBC, sigla em inglês) inovou e realizou, entre os dias 12 e 15 de agosto, sua 58ª Convenção Anual, desta vez de forma totalmente online. Ao todo foram 5.540 participantes de 123 países, incluindo o Brasil, em balanço celebrado por Geyza Caryny, presidenta do Conselho Nacional de Boxe (CNB) – comissão parceira do WBC no Brasil.

“A principal diferença nessa Convenção foi simplesmente o fato de ela não ser presencial. Mas tivemos todas as etapas que existem na Convenção original, como eleição (a cada 4 anos), seminário de arbitragem, show de talentos, salas de conferência com a imprensa, etc. Foi uma Convenção diferente, porque não estávamos de maneira presencial. Porém, toda a equipe do WBC se dedicou da mesma maneira, e isso fica de lição: dedicação para realizar um excelente trabalho mesmo com as dificuldades”, contou Geyza, completando:

“Um dos grandes destaques da Convenção foi o momento da eleição para presidente do WBC, onde o Mauricio Sulaimán foi reeleito por mais 4 anos para o cargo. Outro momento emocionante foi a participação do Bridger Walker, o ‘homem mais valente do mundo’. Um menino herói que salvou a irmã de um ataque de cachorro e participou de uma emocionante conversa junto com o presidente e os campeões mundiais Mike Tyson, José Carlos Ramirez e Marvin Hagler. Falando de Brasil, o Mike Miranda Jr representou o CNB, em trabalho pelo crescimento do Boxe amador na América Latina e mundo afora”, disse a presidente à TATAME.

Por fim, Geyza Caryny projetou a sequência do trabalho do Conselho Nacional de Boxe para o restante da temporada 2020: “Continuamos trabalhando e aguardando a liberação para realização de eventos de Boxe no Brasil. Esperamos que sejam disputados alguns títulos WBC ainda este ano, para ajudar os boxeadores a subirem nos rankings. Enquanto isso, estamos realizando muitos cursos e seminários virtuais”, encerrou.

* Por Diogo Santarém

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade