O Taura MMA segue ampliando a lista de grandes contratações para os quatro eventos ainda a serem realizados em 2020 e os 17 planejados para 2021. Na última sexta-feira (4), a organização anuncia que fechou contratos com o peso-galo (61 kg) Reginaldo Vieira, o peso-mosca (57 kg) Danny Martinez – ambos ex-UFC –, e as revelações Nicolas Cocuccio e Luana Santos.

Vieira (13-6) foi o campeão da quarta e última edição do reality-show “The Ultimate Fighter Brasil”, exibido pela TV Globo em 2015. Desde então, fez apenas três lutas: duas no UFC e uma pelo evento Russian Cagefighting Championship. Aos 37 anos, Reginaldo pretende dificultar ainda mais as coisas para os concorrentes na categoria galo, que já tem atletas como o ex-UFC Carlos Huachín, além do campeão Douglas “He-Man”.

Entre os moscas, Danny Martinez já chega como ameaça ao campeão Felipe Gheno (9-1). O americano, que tem 21 vitórias e nove derrotas como profissional, deixou o UFC mesmo após vencer Richie Vaculik em 2015 e segue pronto para lutar em alto nível. Ele se junta a outros grandes nomes, como José Maria ‘No Chance’, Bruno ‘Korea’ e Allan ‘Puro Osso’ na jornada rumo ao título da categoria.

A franquia anunciou também mais dois nomes conhecidos do MMA internacional: o peso-leve (70 kg) Daron Cruickshank e o peso-pena (66 kg) Kyle Bochniak – ambos com longas passagens pelo UFC. Os americanos vão estrear pela organização no Taura 11, que será realizado em Kissimmee (EUA), no dia 30 de outubro.

Sempre entregando combates agitados, Cruickshank (22-13-1NC) lutou no Ultimate entre 2012 e 2016, quando trocou o octógono pelo ringue do Rizin FF. Na organização japonesa, o “Detroit Superstar” venceu cinco de suas nove lutas. Os fãs de MMA que gostam de trocação técnica e atletas com vontade de definir o resultado podem esperar exatamente isso de Daron. Afinal, oito de suas últimas dez vitórias vieram por nocaute ou finalização.

Bochniak (8-5), por sua vez, escolheu o Taura para retomar o rumo de sua carreira, depois de sete aparições pelo UFC. “Crash” se notabilizou por ser um dos lutadores mais duros da divisão dos penas, o que provou, por exemplo, diante de Zabit Magomedsharipov: mesmo tendo perdido os dois primeiros rounds, Kyle continuou pressionando o Dagestani e enlouquecendo a torcida no UFC 223. Não à toa, o rendimento do atleta de 33 anos lhe rendeu os 50 mil dólares de ‘Luta da Noite’. E, para voltar a brilhar nos melhores palcos do mundo, nada melhor do que estar no Taura.

A organização brasileira contratou ainda Alireza Noei (6-1). O peso-pena iraniano radicado no Brasil é o treinador de Wrestling da equipe Chute Boxe/Dhiego Lima, na qual teve companheiros de tatame como Charles Do Bronx, Felipe Sertanejo e Allan Puro Osso.

Ao mesmo tempo em que adiciona nomes consagrados aos seus quadros, o Taura MMA também se reforça com talentos da nova geração. O argentino Nicolas Coccucio (10-3-1) venceu sete das suas últimas oito lutas e é mais um ‘hermano’ no elenco da empresa, enquanto Luana Santos, que tem três vitórias em três combates de MMA amador, fará sua estreia profissional pela organização.