Vitorioso em última luta, Alex Leko celebra duelo na ‘Ilha da Luta’ e analisa seu começo no UFC: ‘Avaliação muito boa’

Publicado em 23/09/2020 por: Mateus Machado
Vitorioso em última luta, Alex Leko celebra duelo na ‘Ilha da Luta’ e analisa seu começo no UFC: ‘Avaliação muito boa’ Alex Leko vai entrar em ação no UFC 253, no próximo sábado (Foto: Reprodução/Instagram/@alexlekomma)

publicidade

* Alex “Leko” Silva está pronto para seu próximo desafio no Ultimate. Após vencer Rodrigo Vargas por decisão unânime em sua última apresentação, que ocorreu em agosto do ano passado, o lutador será um dos brasileiros em ação no card do UFC 253, que marca o retorno da organização à “Ilha da Luta”, em Abu Dhabi. O terceiro combate do catarinense pela franquia será diante do neozelandês Brad Riddell, que vem embalado por cinco triunfos em sequência, sendo dois deles no UFC.

Com apenas 24 anos, o atleta, que luta profissionalmente no MMA desde 2014, é considerado uma das promessas brasileiras na categoria peso-leve e, após estrear no Ultimate com derrota, teve boa atuação em sua última apresentação e está pronto para tentar engatar uma sequência de resultados positivos na organização. Em entrevista à TATAME, Alex fez uma breve avaliação dos dois confrontos que fez pela franquia até o momento.

“A minha avaliação até o momento foi muito boa. Na primeira luta, eu aprendi muito, peguei um cara experiente, com 10 anos de UFC, e até o momento da finalização, eu estava ganhando a luta, então para mim foi um aprendizado sinistro e eu vi que estava no nível dos caras, porque logo de primeira, peguei um cara muito experiente e bati de frente, estava ganhando, mas por um descuido, acabei perdendo. A segunda luta foi mais tranquila, consegui dominar os três rounds”, analisou.

Confira a entrevista completa com Alex Leko:

– Duelo na ‘Ilha da Luta’ e em card numerado do UFC

Estou bem empolgado, porque além de ser um card numerado, que é uma parte do meu sonho sendo realizada, lutar num evento numerado, de pay-per-view, com mais pessoas assistindo, eu tendo mais visibilidade… E fazer parte de um card na ‘Ilha da Luta’ era uma coisa que eu já vinha almejando. Quando o Dana White deu uma entrevista falando que ia intercalar os eventos do UFC entre Las Vegas e a Ilha da Luta, eu queria fazer essa luta na Ilha, já fiquei de olho, então fico muito feliz por estar concretizando isso.

– Luta cancelada em abril por conta da pandemia e preparação para o UFC 253

Eu já vinha treinando, porque eu tinha uma luta marcada para abril, mas como a pandemia estourou justamente nessa época, o duelo foi cancelado. Ficou ruim para mim pelo menos no primeiro mês de pandemia, quando tudo fechou, as academias não abriam. Depois de quase dois meses, as academias começaram a reabrir e pude voltar normalmente, mas eu mantive os treinos em casa antes disso, mantive a máquina andando, então até que foi tranquilo, sinto que pude fazer uma boa preparação e estou pronto para fazer uma boa luta no sábado.

– Qual avaliação você faz das lutas que realizou no UFC até o momento?

A minha avaliação até o momento foi muito boa. Na primeira luta, eu aprendi muito, peguei um cara experiente, com 10 anos de UFC, e até o momento da finalização, eu estava ganhando a luta, então para mim foi um aprendizado sinistro e eu vi que estava no nível dos caras, porque logo de primeira, peguei um cara muito experiente e bati de frente, estava ganhando, mas por um descuido, acabei perdendo. A segunda luta foi mais tranquila, consegui dominar os três rounds. Eu não sou aquele atleta de camp, estou sempre evoluindo, você nunca vai me ver igual de uma luta para a outra, porque eu treino todos os dias e estou sempre evoluindo.

– Análise do adversário 

Ele é um cara completo até. Trabalha bem o Kickboxing, a parte de Wrestling é muito boa também, mas ele não desenvolve a parte de chão, não sei se é por não saber da arte ou não treinar. Vai ser uma luta dura pelo o que eu vi dele, mas acho que tenho vantagens no solo, porque treino bastante Wrestling e meu Jiu-Jitsu é afiado. Eu treinei tudo, como sempre faço, procurando evoluir e aperfeiçoar tudo.

– Planos após o combate no UFC 253

Meu plano é vencer essa luta e até o final do ano, começo de 2021, já voltar a lutar. Meu objetivo é ser campeão. Sei que tenho que melhorar muito, evoluir em algumas partes, mas estou trabalhando duro e todos os dias visando melhorar isso. Quero o cinturão, meu único pensamento é esse e podem ter certeza que vou em busca disso.

CARD COMPLETO:

UFC 253
Ilha da Luta, em Abu Dhabi
Sábado, 26 de setembro de 2020

Card principal (23h, horário de Brasília)
Peso-médio: Israel Adesanya x Paulo Borrachinha
Peso-meio-pesado: Dominick Reyes x Jan Blachowicz
Peso-mosca: Kai Kara-France x Brandon Royval
Peso-galo: Ketlen Vieira x Sijara Eubanks
Peso-pena: Hakeem Dawodu x Zubaira Tukhugov

Card preliminar (20h, horário de Brasília)
Peso-leve: Brad Riddell x Alex Leko
Peso-meio-médio: Diego Sanchez x Jake Matthews
Peso-pena: Shane Young x Ludovit Klein
Peso-meio-pesado: William Knight x Aleksa Camur
Peso-pesado: Juan Espino x Jeff Hughes
Peso-meio-pesado: Khadis Ibragimov x Danilo Marques

* Por Mateus Machado

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade