Vivi Araújo projeta crescimento ‘sem pressa’ e mira rivais do Top 10 após vitória no UFC Vegas: ‘Calderwood ou Modafferi’

Publicado em 24/09/2020 por: Diogo Santarém
Vivi Araújo projeta crescimento ‘sem pressa’ e mira rivais do Top 10 após vitória no UFC Vegas: ‘Calderwood ou Modafferi’ Vivi quer dar sequência ao bom momento no UFC contra rivais do Top 10 (Foto reprodução Instagram @viviaraujomma)

publicidade

* Atualmente na oitava posição do ranking peso-mosca feminino do UFC, a brasileira Viviane Araújo começa a vislumbrar objetivos cada vez maiores na organização. No último dia 5 de setembro, Vivi derrotou Montana De La Rosa por decisão unânime dos jurados e chegou à marca de três vitórias em quatro lutas no Ultimate. Em entrevista à TATAME, a lutadora analisou seu desempenho e projetou o que vem a seguir.

“Muito satisfeita (com o meu desempenho). Consegui seguir bem a estratégia que fizemos para anular o jogo da Montana e me deixar sempre um passo à frente. É claro que gostaria de ter nocauteado, mas tiro meu chapéu para uma atleta que aguentou os meus golpes duros. O mais importante pra essa luta foi me manter fria e lutar inteligente, sem me expor muito buscando a vitória com segurança”, disse Vivi, que já tem em mente duas adversárias para retornar ao octógono.

“Estamos tentando fechar uma luta contra a Joanne Calderwood (sexta no ranking) ou Roxanne Modafferi (sétima no ranking). Quero lutar no final de novembro ou dezembro, contra qualquer uma do Top 10. Quero me manter ativa na organização, fazer mais lutas durante o ano e ir subindo no ranking por merecimento”.

Confira o restante da entrevista com Vivi Araújo:

– Evolução para o duelo contra a Montana De La Rosa 

Para essa luta tive eu uma grande evolução mental e física. Principalmente o meu foco e meu condicionamento físico, aquele dia lutaria cinco rounds fácil e sem perder a pressão dos meus golpes. Eu treinei muito duro esse ano, apesar de vários contratempos me mantive firme no caminho certo.

– Impacto da vitória para sua sequência na divisão

Muito animada, terceira vitória na organização e estamos subindo aos pouquinhos na categoria, hoje eu não tenho pressa em disputar o título, estou numa fase em que cada luta eu me mostro melhor e vou ganhando segurança em todas as áreas.

– Momento de pandemia e homenagem para a avó

É o momento em que todos nós precisamos nos adaptar. Eu mesmo tomando todos os cuidados contrai a doença, tive sorte em me recuperar 100% e sem nenhuma sequela. Minha vó infelizmente não teve a mesma sorte e a família sentiu muito essa perda. Fiquei muito feliz em poder dedicar essa vitória em homenagem a ela.

* Por Diogo Santarém

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade