Agora no peso mosca, Jéssica Bate-Estaca destrincha jogo de Shevchenko e simula estratégia para vencer a campeã

Publicado em 17/10/2020 por: Mateus Machado
Agora no peso mosca, Jéssica Bate-Estaca destrincha jogo de Shevchenko e simula estratégia para vencer a campeã Jéssica Bate-Estaca traçou possível estratégia para derrotar Shevchenko (Foto reprodução YouTube)

publicidade

* Marcado para acontecer neste sábado (17), na “ilha da luta”, em Abu Dhabi, o UFC Fight Night 180 vai marcar a estreia de Jessica Bate-Estaca na categoria peso mosca. Ex-detentora do título na divisão dos palhas, a brasileira subiu para os 57kg e terá pela frente a americana Katlyn Chookagian, atual número 1 no ranking dos moscas. O fato de já enfrentar uma oponente tão bem ranqueada em sua primeira apresentação na classe de peso faz com que a lutadora da PRVT pense em voos maiores em caso de um bom resultado no combate.

Além de nutrir o sonho de ser campeã em duas categorias de peso diferentes, Jéssica nunca escondeu sua vontade de enfrentar Valentina Shevchenko, atual campeã peso-mosca da organização. A lutadora do Quirguistão e radicada no Peru tem defesa de título marcada para o dia 21 de novembro, no card do UFC 255, contra a também brasileira Jennifer Maia, e antes mesmo do confronto contra Jennifer acontecer, Bate-Estaca já projeta uma possível disputa de cinturão diante de Valentina, que só foi derrota três vezes em sua carreira: para Amanda Nunes, em duas oportunidades, e Liz Carmouche.

Em entrevista à TATAME, a atleta de 29 anos, que vem de derrotas para Weili Zhang e Rose Namajunas, respectivamente, fez uma análise completa do jogo mostrado por Valentina Shevchenko no Ultimate e ressaltou qual seria sua estratégia para derrotar a atual campeã peso-mosca caso a enfrente no futuro.

“A Valentina (Shevchenko) é uma atleta difícil de saber o que vai fazer durante a luta. Ela chuta, trabalha muito bem o ground and pound, tem quedas de Judô muito boas também. Mas eu vejo que na maioria das lutas dela, quando ela cai por baixo, fica sem saber o que fazer, meio que se perde, acho que ela não está acostumada a cair por baixo e trabalhar para levantar. Então, acredito que trabalhar por cima, no ground and pound sobre ela, vai fazer grande diferença pra quem for enfrentá-la”, disse Bate-Estaca, que seguiu:

“Mas para chegar nisso, é preciso encurtar a distância, e a forma mais fácil de conseguir isso é entrar fechadinho, encurtar, trabalhar muito a agressividade, tentar atrapalhar a visão dela para chegar na grade, agarrar, e aí sim, colocar a luta para baixo e ficar por cima, para cansá-la e trabalhar muito o ground and pound. Precisa estar com o gás muito em dia para fazer isso. Acho que fazer esse jogo nos três primeiros rounds seja importante para, daí em diante, fazer outras coisas, já que isso vai acabar cansando ela. Acho que seria a forma mais tranquila de vencê-la. Resumindo, é encurtar, não dar espaço, trabalhar a grade, derrubar e ficar por cima, minando o gás dela ou até mesmo forçar o nocaute no ground and pound”.

CARD COMPLETO:

UFC Fight Night 180
Ilha da Luta, em Abu Dhabi (EAU)
Sábado, 17 de outubro de 2020

Card principal (20h, horário de Brasília)
Peso-pena: Brian Ortega x Chan Sung Jung
Peso-mosca: Katlyn Chookagian x Jéssica Bate-Estaca
Peso-meio-pesado: Jimmy Crute x Modestas Bukauskas
Peso-pena: Thomas Almeida x Jonathan Martinez
Peso-meio-médio: Cláudio Hannibal x James Krause
Peso-leve: Mateusz Gamrot x Guram Kutateladze

Card preliminar (17h, horário de Brasília)
Peso-mosca: Poliana Botelho x Gillian Robertson
Peso-médio: Jun Yong Park x John Phillips
Peso-meio-pesado: Gadzhimurad Antigulov x Maxim Grishin
Peso-galo: Said Nurmagomedov x Mark Striegl
Peso-leve: Jamie Mullarkey x Fares Ziam

* Por Mateus Machado

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade