Fellipe Andrew analisa ouro absoluto no Pan da IBJJF e festeja ano de conquistas: ‘Bem satisfeito com os resultados’

Publicado em 21/10/2020 por: Mateus Machado
Fellipe Andrew analisa ouro absoluto no Pan da IBJJF e festeja ano de conquistas: ‘Bem satisfeito com os resultados’ Fellipe Andrew faturou a medalha de ouro na disputa do absoluto faixa-preta (Foto reprodução FloGrappling)

publicidade

* Apesar da pandemia global do novo coronavírus ter afetado diretamente o calendário de competições do Jiu-Jitsu, Fellipe Andrew tem motivos de sobra para celebrar seus resultados na temporada. Campeão absoluto no Europeu da IBJJF e na categoria até 94kg no Abu Dhabi Grand Miami, o faixa-preta entrou em ação no Pan-Americano, no início de outubro, e conquistou a medalha de ouro no absoluto ao derrotar Gustavo Batista, da Atos, por 3 a 0 nas vantagens.

O título no peso aberto reforçou ainda mais a liderança do atleta da Alliance no ranking 2019/2020 da IBJJF entre os melhores no adulto faixa-preta com quimono, e em entrevista à TATAME, Andrew falou com satisfação de sua boa campanha no Pan-Americano, apesar da desclassificação na categoria super-pesado, onde acabou ficando em terceiro lugar após revés inesperado. Segundo Fellipe, o uso do recurso de vídeo poderia esclarecer a situação e, com isso, ele continuaria na disputa pelo título na divisão.

“De maneira geral, eu gostei da campanha que fiz no Pan-Americano da IBJJF. Eu estava me sentindo muito bem em todas as lutas que fiz, mas fiquei bem chateado com a desclassificação. Não com a arbitragem em si, é bom ressaltar isso, mas pelo fato de sequer olharem o que aconteceu naquele momento em algum recurso de vídeo e na hora já tomarem a decisão de me desclassificar. Acredito que faltou isso”, opinou.

A desclassificação no super-pesado, entretanto, não desanimou Fellipe Andrew, que utilizou o fato como motivação para ir em busca da medalha de ouro no absoluto. A “estratégia” deu certo, e após uma boa campanha, o título veio com a vitória nas vantagens sobre Gustavo Batista após empate de 0 a 0 nos pontos.

“O absoluto começou no sábado e eu fiz lutas muito duras, e cada vez que eu ia avançando na chave, minha confiança aumentava e eu ficava mais confiante no título. No domingo, antes da final, eu já vinha pensando naquela final depois de ter sido desclassificado no peso e fui, digamos, com ‘mais vontade’ para a luta (risos). Fico feliz que tenha dado tudo certo, disputar o absoluto é sempre difícil, então fico muito satisfeito pelo resultado, é um título muito importante”, destacou Andrew, que por fim, fez uma breve análise do seu 2020.

“Eu estou feliz com esse meu ano de competições, porque o que deu para fazer nas circunstâncias dessa temporada, eu fiz. Consegui os títulos que estavam disponíveis esse ano. Lógico que sempre queremos o Mundial, é o sonho e o ‘plano A’ de qualquer atleta de Jiu-Jitsu, mas até então, eu estou bem satisfeito com o ano que tive, sempre trabalhando e treinando duro visando os próximos passos da carreira”, concluiu.

* Por Mateus Machado

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade