Gleison Tibau revela rotina como atleta e treinador, contrato com a PFL e fala de expectativa para estreia no Taura MMA

Publicado em 01/10/2020 por: Mateus Machado
Gleison Tibau revela rotina como atleta e treinador, contrato com a PFL e fala de expectativa para estreia no Taura MMA Gleison Tibau vai enfrentar Chris Cisneros em sua estreia pelo Taura MMA (Foto: Reprodução/Instagram/@gleisontibauofficial)

publicidade

* Com uma longa passagem pelo UFC, onde lutou entre 2006 e 2018, Gleison Tibau está pronto para um novo desafio em sua carreira. O brasileiro, atualmente com 37 anos, está escalado para o card do Taura MMA 11, marcado para o dia 30 de outubro, na Silver Spurs Arena, em Kissimmee (EUA), Seu adversário na estreia pela organização será o também experiente Chris Cisneros, lutador que já teve passagem pelo Bellator e enfrentou atletas ex-UFC como Ben Saunders e Kendall Grove.

Com um extenso cartel de 35 vitórias e 14 derrotas no MMA profissional, Gleison não luta profissionalmente desde julho do ano passado, quando derrotou o americano Will Brooks por decisão unânime no evento Battlefield FC. Agora, para fazer seu debute no Taura MMA, o lutador de Mossoró, no Rio Grande do Norte, vem fazendo sua preparação na Alemanha, e em entrevista exclusiva à TATAME, contou como surgiu a oportunidade de treinar no país europeu, onde também vem fazendo o papel de treinador na equipe UFD Gym

“A oportunidade de vir para cá (Alemanha) veio após eu receber um convite para fazer parte do camp do Roberto Soldic, que é o campeão meio-médio do KSW. Ele ia lutar contra um atleta canhoto, defender seu título, e me chamaram para eu treinar por uma semana com ele. A galera gostou do meu desempenho, das minhas técnicas, e me contrataram para eu ficar mais um tempo aqui, dando suporte ao time. Acabou que eu estou dando treino e me treinando ao mesmo tempo, está sendo uma fase boa e diferente para mim, de evolução, porque descobri muitas coisas no meu jogo e estou aprimorando outras. Estou gostando, nunca tinha pensado em ser treinador, mas estou gostando demais dessa experiência”, disse o lutador.

Antes de fechar com o Taura MMA, Gleison Tibau chegou a ser contratado pelo evento americano PFL (Professional Fighters League), conhecido por realizar torneios em formatos de GP nas categorias de peso, onde o campeão de cada Grand Prix recebe US$ 1 milhão ao fim da temporada. No entanto, por conta da pandemia provocada pelo coronavírus, a PFL decidiu adiar a temporada deste ano e repassar para 2021. Com isso, surgiu a “brecha” para que o brasileiro pudesse fechar contrato com o Taura MMA, mesmo que Tibau ainda tenha contrato em vigor com a PFL.

“Nesse meio tempo, surgiu uma grande proposta da PFL, fechei com eles e é um grande evento, que está vindo com tudo. Fechamos para 2020, mas infelizmente, por conta da pandemia do coronavírus, a temporada 2020 acabou sendo adiada para 2021. Então, eu fiquei livre esse ano. Foi aí que surgiu a oportunidade de lutar pelo Taura MMA. Quando o Taura me chamou, eu tinha contrato com a PFL, mas por conta da pandemia, eu só vou poder cumprir o contrato com eles a partir de 2021. Então, acredito que até fevereiro/março de 2021, estarei disponível para lutar no Taura MMA. Mas quando começar o GP da PFL, terei que cumprir meu contrato com eles”.

Confira a entrevista na íntegra com Gleison Tibau:

– Como surgiu a oportunidade de ir para o Taura MMA?

O Taura MMA é um evento que está crescendo bastante, e melhor crescendo para o mundo. Fiquei super interessado e feliz com o crescimento deles. O Rick Monstro, que é campeão e um dos meus amigos, me falou sobre o Taura e depois disso o Djônatan Leão veio falar comigo e acertamos o contrato. Estou muito empolgado para fazer parte de todo esse processo de expansão e crescimento do Taura MMA.

– Preparação na Alemanha e experiência como treinador 

A preparação está sendo feita na Alemanha e a oportunidade de vir para cá veio após eu receber um convite para fazer parte do camp do Roberto Soldic, que é o campeão meio-médio do KSW. Ele ia lutar contra um atleta canhoto, defender seu título, e me chamaram para eu treinar por uma semana com ele. A galera gostou do meu desempenho, das minhas técnicas, e me contrataram para eu ficar mais um tempo aqui, dando suporte ao time. Estou dando treino e me treinando ao mesmo tempo, está sendo uma fase boa e diferente para mim, de evolução, porque descobri muitas coisas no meu jogo e estou aprimorando outras. Estou gostando, nunca tinha pensado em ser treinador, mas estou gostando demais dessa experiência, os meninos da equipe já estão tendo bons resultados. Minha preparação vai seguir aqui e me sinto cada vez mais pronto para essa estreia no Taura MMA.

– Análise do adversário da estreia no Taura MMA

Vi que ele é um cara bem experiente, já estou assistindo algumas lutas dele, vendo como ele se comporta. Um adversário que já tem experiência em grandes eventos, mas vejo que ele ou qualquer outro adversário não terá chances contra mim, porque estou focado, motivado, tenho bagagem e estou com muita vontade de vencer. Vai ser um grande problema para o meu adversário (risos). Estou disposto a promover uma grande luta, quero dar show. Já lutei contra os melhores do mundo, já mostrei tudo o que eu tenho, então agora eu quero lutar para dar show, esse é meu objetivo.

– Contrato assinado com a PFL e ida por ‘empréstimo’ para o Taura MMA

Gosto de estar sempre em competição, ativo, nunca fiquei muito tempo sem lutar, então nunca pensei em aposentadoria. Recebi muitas propostas durante esse tempo, mas sempre aguardei por algo que valesse a pena para mim, por toda a história que eu construí. Nesse meio tempo, surgiu uma grande proposta da PFL, fechei com eles e é um grande evento, que está vindo com tudo. Fechamos para 2020, mas infelizmente, por conta da pandemia do coronavírus, a temporada 2020 acabou sendo adiada para 2021. Então, eu fiquei livre esse ano. Foi aí que surgiu a oportunidade de lutar pelo Taura MMA. Quando o Taura me chamou, eu tinha contrato com a PFL, mas por conta da pandemia, eu só vou poder cumprir o contrato com eles a partir de 2021. Então, acredito que até fevereiro/março de 2021, estarei disponível para lutar no Taura MMA. Mas quando começar o GP da PFL, terei que cumprir meu contrato com eles.

– Atualmente, com 37 anos, como você se sente visando os próximos passos no MMA?

Hoje, com 37 anos, me sinto melhor do que há 10 anos ou até mesmo no início da minha carreira, por exemplo. Não sei se era treino errado, falta de experiência, mas hoje tenho bagagem e melhor, estou saudável e me mantenho sempre ativo, isso me dá uma confiança maior. Hoje me sinto muito mais confortável e disposto para subir no octógono e lutar contra qualquer um. A experiência faz a diferença e consigo controlar qualquer luta.

– Contratações de peso feitas pelo Taura MMA

O Taura MMA fez grandes contratações. Se eles quiserem fazer um card igual ou maior que o UFC, eles tem ‘bala’ para isso. O Taura está forte para bater de frente contra qualquer evento do mundo, porque tem atletas de nível mundial para fazer grandes lutas. Vejo o Taura sendo um dos melhores eventos do mundo nos próximos anos. Num momento desse, de pandemia, eles tiveram coragem e determinação para fazer grandes contratações, então parabenizo e garanto que vou dar o meu melhor para promover grandes apresentações.

* Por Mateus Machado

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade