Patricky Pitbull disseca adversário do seu retorno ao Bellator e destaca: ‘Ele gosta de enrolar a luta e eu, de definir’

Publicado em 08/10/2020 por: Diogo Santarém
Patricky Pitbull disseca adversário do seu retorno ao Bellator e destaca: ‘Ele gosta de enrolar a luta e eu, de definir’ Patricky Pitbull vai ter um duro desafio em seu retorno ao Bellator (Foto Bellator MMA)

publicidade

Patricky Pitbull já tem data, local e adversário para o seu retorno ao cage circular do Bellator após a quarentena provocada pela pandemia de Covid-19. O peso-leve vai enfrentar Jaleel Willis no próximo dia 15 de outubro, em Connecticut (EUA). Ex-campeão do LFA, o norte-americano entrou no lugar do irlandês Peter Queally, anteriormente escalado para enfrentar o brasileiro.

“Vi a luta dele no LFA, ele fez cinco rounds em pé, mostrou que gosta de chutar tanto com a perna esquerda, quanto com a direita, aguenta bastante chute também, usa jab e mata-cobra. Não é um cara limitado. Ele também procura as quedas… Enfim, tem um jogo consistente”, analisou Pitbull. “Ele gosta de agarrar e eu estou com aquela pulga atrás da orelha de que ele vai querer tentar me colocar pra baixo. Não sei se estou errado, mas desconfio disso, porque ele tem umas quedas boas no arsenal”.

Com 28 anos e apenas seis como profissional de MMA, Jaleel venceu 13 das 15 lutas que disputou, 62% delas via decisão. O que o americano tem de lutas, o brasileiro tem de nocautes: são 15 em 32 lutas.

“Já lutei com cara assim, com esse estilo de luta, que nunca vem para definir, que fica esperando uma atitude do adversário. Se ele quiser enrolar a luta, eu vou estar pronto pra isso, pronto para tudo. Mas não é o que eu quero. Não quero que a luta vá para a decisão, porque a gente nunca sabe o que se passa na cabeça dos juízes. Quero definir a luta, não importa se na trocação ou finalização. O que importa é a vitória”.

Patricky Pitbull venceu as cinco lutas mais recentes que fez no Bellator e embora não se apresente pela organização desde fevereiro de 2019 – suas últimas três lutas foram pelo GP peso-leve do RIZIN FF, no Japão -, um sexto triunfo deve qualificá-lo para a disputa do cinturão peso-leve da organização. Atual campeão da divisão, seu irmão Patrício já afirmou que abre mão do título caso o irmão receba uma oportunidade.

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade