Presidente da FKAERJ fala sobre medidas voltadas para o esporte em meio à pandemia e traça planos visando 2021

Publicado em 27/10/2020 por: Mateus Machado
Presidente da FKAERJ fala sobre medidas voltadas para o esporte em meio à pandemia e traça planos visando 2021 Presidente da FKAERJ detalhou como vem sendo o ano de 2020 da entidade (Foto divulgação)

publicidade

Em meio à pandemia global do coronavírus, diversos setores precisaram se adaptar aos protocolos de saúde adotados pelas autoridades responsáveis, e no mundo das artes marciais, isso não foi diferente. A FKAERJ (Federação de Karatê das Associações do Estado do Rio de Janeiro) foi altamente impactada e precisou reformular seu calendário de torneios e demais compromissos por conta da grave crise sanitária que assola o mundo.

Diretor-Presidente da federação, o professor Henrique Cardoso, juntamente com sua equipe, precisou traçar estratégias para manter a entidade em funcionamento de acordo com os protocolos implementados pelos órgãos de saúde. Praticante do Caratê desde 1977 e atualmente faixa-preta 8º Dan da modalidade, o carioca, que também é Diretor-Presidente da Associação Maricaense de Karatê, falou sobre as medidas adotadas para manter as atividades, citando que os recursos online foram essenciais nesse processo.

“Durante esse período de pandemia, diversas portas começaram a se fechar, uma delas é que fomos impedidos de praticar o esporte de maneira presencial, e isso afetou diretamente os nossos eventos e campeonatos, até mesmo os exames de faixas em academias, que tiveram que ser fechadas por conta dos protocolos de saúde. Hoje, a gente consegue compreender um pouco melhor os protocolos e, consequentemente, esse vírus, e estamos retomando nossas atividades aos poucos, sempre seguindo os protocolos e os decretos. Normalmente, o Caratê e suas federações têm o seu calendário, que é seguido à risca. Nossa federação realizaria cinco etapas esse ano do Estadual, envolvendo as modalidades Kata e Kumite. Contudo, essa questão da pandemia veio frear todos eventos e ficamos nesse impedimento”.

“Procuramos abrir novos espaços e eu, particularmente, junto com os professores da nossa federação e associações, iniciamos nosso projeto de aulas online. Isso foi algo inovador e bom para todos nós, onde conseguimos continuar aquecendo nossa modalidade. Começamos também a fazer as disputas de Kata online, porque é uma modalidade que consiste em realizar lutas imaginárias, ou seja, o atleta não precisa de um adversário físico. Ele faz um treinamento do Kata em casa, grava de acordo com os protocolos, fala o nome dele, a graduação, associação que representa e a categoria que vai disputar. Ele executa o Kata, encerra, e os árbitros, também de forma online, formalizam as suas notas e as emitem. Dali, saem as classificações. Isso tem gerado uma receptividade muito boa. Com isso, estamos conseguindo fechar o ano, no próximo dia 22 de novembro vamos promover a quinta etapa do nosso Estadual de Kata. É uma grande conquista e um grande feito da nossa federação. Agradeço a todos os envolvidos por tornar isso possível. Nós não paramos, A gente se adaptou às circunstâncias, fizemos cursos de arbitragem, exame de grau recentemente. Nossa federação tem funcionado dentro do protocolo e respeitando ao ordenamento jurídico e de saúde”, disse Henrique Cardoso, que complementou sobre a reabertura na sequência.

“Aos poucos, alguns estados estão autorizando a reabertura das academias, e com isso, nossos professores estão respeitando todos os protocolos ordenados, como uso de máscaras, respeitando o distanciamento social. As aulas estão ocorrendo de maneira bem promissora, muitos professores estão ministrando aulas com turmas reduzidas, tiveram que aumentar seus horários de treinamento pelo fato de ter que formar mais turmas. Graças a Deus, dentro da nossa federação e associações parceiras, até agora, nenhum sinal de algum membro infectado. Estamos retomando nosso trabalho aos poucos, de maneira bem programada e com todo protocolo sendo respeitado ao máximo. Assim, as coisas estão dando muito certo”.

Com a Covid-19 ainda provocando inúmeras mortes pelo mundo e sem uma previsão exata de uma vacina para combater o vírus, um planejamento preciso para o ano de 2021 ainda é incerto, mas Henrique falou brevemente sobre suas expectativas para o novo ano que se aproxima, mesmo com todos os problemas.

“A pandemia continua em estágio acelerado em diversos países, ela continua. Enquanto não houver a vacina, o mundo estará bem vulnerável. Nossa expectativa para 2021 é dar continuidade aos nossos eventos online, dar prosseguimento às modalidades Kata em nível online também. Vamos fazer um grande open nacional, que pretendemos fazer em três etapas, convidando todas as federações do nosso país. Nosso plano é manter o método online. Talvez, a partir de abril ou maio, com o surgimento da vacina, a gente retome alguns eventos presenciais, inicialmente com a modalidade Kata, onde o atleta está sozinho, então isso gera uma segurança maior. Com todo um critério de segurança, as pessoas vacinadas e a pandemia sob controle, poderíamos praticar nosso esporte tão benéfico. Mas, por enquanto, teremos que aguardar as respostas dos especialistas, para que essa vacina saia da melhor forma possível e todos esportes retornem”.

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade