Referência no Kickboxing, Paulo Tebar explica aposentadoria aos 30 anos: ‘Vou poder cuidar melhor da minha academia’

Publicado em 11/10/2020 por: Yago Redua
Referência no Kickboxing, Paulo Tebar explica aposentadoria aos 30 anos: ‘Vou poder cuidar melhor da minha academia’ Paulo Tebar é um dos grandes nomes do Kickboxing brasileiro mundo afora (Foto David Leite / WGP)

publicidade

O atleta de alto rendimento nas artes marciais que também tem a própria academia sempre vive o dilema entre dar aulas e se preparar da melhor forma para os eventos. Há quem diga que é possível fazer os dois com excelência, enquanto outros acreditam que isso não seja possível. Paulo Tebar, uma das referências do Kickboxing no Brasil e que já ostentou títulos do WGP, após um período de reflexão, decidiu encerrar sua trajetória como atleta profissional e focar no seu CT, em São Paulo.

Em entrevista à TATAME, Tebar, aos 30 anos, contou o motivo de escolher colocar um ponto final na sua trajetória nos ringues. Além disso, citou que vai investir mais tempo na academia e em projetos pessoais.

“Eu já vinha pensando em parar há algum tempo, desde que eu abri a minha academia. Você se cobra para tudo dar certo e é difícil, porque você tem que treinar, ser o melhor para os alunos, para a academia… Eu fiz isso durante um tempo, mas depois começou a pesar na balança, comecei a ficar um pouco mal pelo fato de não conseguir fazer uma coisa nem outra da forma que eu gostaria fazer. Mas, quando eu pensava em parar, ficava triste. Nos últimos tempos, vinha com isso na cabeça”, contou o multicampeão, que seguiu:

“Na pandemia, tive o meu momento de reflexão, coloquei na balança as coisas e foi o ano que eu fiz 30 de idade. Não acho que é tão cedo, acho que teria mais uns quatro ou cinco anos de carreira. Estaria com uns 35 anos e, talvez, um pouco tarde para fazer outras coisas da minha vida. Vou poder cuidar melhor da academia, empreender em outro negócio e melhorar minha vida em outras coisas, sem ser só luta”, revelou.

Confira outros trechos da entrevista com Paulo Tebar:

– Avaliação da carreira dentro do Kickboxing

É difícil avaliar a própria trajetória, porque pode transparecer uma certa falta de humildade ou arrogância, mas olhando pra trás, no nível Brasil, Argentina e América Latina, eu tive bons resultados. Eu conquistei dois cinturões do maior evento de Kickboxing da América Latina (WGP). Neste nível, foi uma carreira de sucesso.

– Momentos importantes como profissional

Cada luta foi uma conquista diferente. As lutas que eu perdi, aprendi… E as que eu ganhei, aprendi mais ainda, porque eu procurava achar os erros, mesmo na vitória para poder melhorar. As lutas que não eram por títulos, me credenciaram aos títulos. As disputas de cinturão também foram importantes, pois elas fizeram elevar o meu nome no Kickboxing. Cada luta foi uma conquista importante que eu carrego comigo. A minha ida ao Japão, lutar o K-1, pra mim, foi uma conquista pessoal, que mais marcou minha memória.

– Sentimento se faltou algo na sua carreira

Eu acredito que não tenha esse sentimento de que ficou faltando nada. Sei que eu poderia ir muito mais longe, acredito no meu potencial, na minha dedicação, mas eu escolhi ir por outro caminho. Eu não estou fazendo isso com a sensação de que deveria continuar no Kickboxing, porque poderia ir mais longe. Eu escolhi parar, porque não quero mais pagar o preço que é essa estrada. Não estou mais disposto a isso.

View this post on Instagram

Gostaria de achar outra palavra que não fosse obrigado para transmitir o meu sentimento de gratidão por todas as pessoas que tornaram o dia do meu aniversário tão especial, não tem presente de maior valor que cada palavra e gesto de carinho. Quero aproveitar esse momento pra informar a todos que acompanham meu trabalho que estou me afastando dos ringues. Foram anos depositando toda minha energia e coração, aproveitei as oportunidades e sempre fiz com mto amor. Só fiz amigos, nenhuma inimizade, conheci lugares, me superei, realizei sonhos e fui mto feliz ! Sou mto grato a todas as pessoas que me apoiaram nessa trajetória, que acreditaram junto cmg, a minha família, amigos, treinadores, companheiros de treinos, patrocinadores, academias, médicos, fisioterapeutas e todos que torceram por mim. Hj estou em busca de outros desafios, é uma opção minha. E pra vc, que está começando ou já está no caminho, continue! Se dedique, persista e principalmente seja feliz ! 🥊🙏🏻

A post shared by Paulo Tebar (@paulinhotebar) on

– WGP como vitrine na carreira de um atleta

O WGP foi a vitrine do meu trabalho. É a maior vitrine da América Latina, é o evento que paga os atletas. Tanto no Kickboxing, quanto no May Thai, em nível da América Latina, o WGP é o que mostra melhor o trabalho em relação aos atletas. Se não fosse o WGP, não teria tido metade do reconhecimento que eu tive.

– Próximos objetivos na vida profissional

Eu pretendo continuar com a academia e fazer as coisas acontecerem, pode ajudar as pessoas que estão comigo, com conselhos e dicas para que elas alcancem os seus objetivos. Quero passar o que eu vi para as pessoas que queriam esse meu suporte, mas ser treinador eu não tenho em mente. Mas, tenho como foco preparar pessoas que trabalhem com a área da saúde, a preparação física, etc.

– Maiores desafios que teve na sua trajetória

Os meus maiores oponentes foram a balança (risos) e o dia a dia do esporte. Se virar, dar aula, academia, se alimentar bem e fazer um bom trabalho com tudo que engloba o esporte. O oponente mais duro da minha carreira, sem dúvida, foi eu mesmo, não tem nada mais difícil do que se enfrentar e os desafios diários.

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade