Resumo do MMA: peso-pesado do UFC é suspenso, Bate-Estaca decola no ranking e PFL marca retorno dos eventos para abril

Publicado em 21/10/2020 por: Mateus Machado
Resumo do MMA: peso-pesado do UFC é suspenso, Bate-Estaca decola no ranking e PFL marca retorno dos eventos para abril Jéssica Bate-Estaca assumiu primeira posição no ranking peso-mosca (Foto reprodução Instagram @jessicammapro)

publicidade

Lutador da categoria peso pesado do UFC, Chase Sherman aceitou uma suspensão de nove meses da USADA (Agência Antidoping dos Estados Unidos) após um teste positivo para a substância anastrozol, como resultado de uma amostra em período de competição coletada no início deste ano. O teste foi realizado em 13 de maio, dia da vitória por nocaute técnico de Sherman sobre Ike Villanueva no UFC on ESPN 29. A informação foi confirmada pelo site MMA Junkie na terça-feira (20).

De acordo com um comunicado divulgado pela USADA, “o anastrozol é uma substância especificada na classe dos moduladores hormonais e metabólicos e está sempre proibido, segundo a Política Antidoping do UFC e a lista de substâncias proibidas pela organização”. O atleta apresentou “evidências suficientes de que seu uso de anastrozol ocorreu antes de entrar no programa de testes”, mas não divulgou seu uso de anastrozol antes da luta. A sanção foi reduzida porque Sherman cooperou totalmente durante a investigação do caso e mostrou que não pretendia melhorar o seu desempenho com o uso da substância.

Uma vez que a suspensão é retroativa ao dia do teste, Chase Sherman estará apto a lutar novamente em 13 de fevereiro de 2021. O peso-pesado americano, atualmente com 30 anos, está em sua segunda passagem pela organização e vem embalado por quatro vitórias consecutivas no Ultimate, todas elas por nocaute.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Just really need a fight so I can go back to not being fat again. 🤷🏼‍♂️😭 #heavyweight #itsbulkingseason #🖕🏼 #ufc #mma #weighinday #ufcfightnight

Uma publicação compartilhada por Chase Sherman (@chase_sherman_ufc) em

Bate-Estaca assume primeira posição no ranking 

Após uma estreia impressionante na categoria peso mosca, nocauteando Katlyn Chookagian ainda no primeiro round, Jéssica Bate-Estaca tem motivos de sobra para comemorar. A brasileira, ex-campeã peso-palha, garantiu a primeira posição no ranking até 57kg do Ultimate, assumindo o lugar que era justamente de Chookagian. A divisão de peso, vale lembrar, tem como atual “rainha” a fera Valentina Shevchenko, que vai defender seu cinturão no dia 21 de novembro, pelo UFC 255, diante da brasileira Jennifer Maia.

Além disso, a atleta da PRVT subiu uma posição no ranking peso-por-peso feminino do Ultimate e está, agora, na quinta colocação, atrás apenas de Rose Namajunas, Valentina Shevchenko, Weili Zhang e Amanda Nunes, atual líder da lista e campeã dupla da franquia. No ranking peso-palha, Bate-Estaca caiu uma posição, que foi assumida pela ex-campeã Joanna Jedrzejczyk, e agora é a terceira colocada na categoria até 52kg.

PFL anuncia retomada dos seus eventos para 2021

Depois de anunciar o cancelamento da sua temporada em 2020 por conta da pandemia global do novo coronavírus, a PFL (Professional Fighters League) confirmou a retomada dos seus eventos. Na última terça-feira (20), a franquia divulgou as datas para a realização da temporada regular de 2021, que terá início no dia 23 de abril. Além da data de abertura, a companhia também definiu os dias 29 de abril, 6 de maio, 10, 17 e 25 de junho como outras datas para promover suas edições ao vivo, com transmissão da ESPN americana.

De acordo com a “NBC Las Vegas”, os eventos serão realizados em Las Vegas, nos Estados Unidos, atendendo todos os protocolos de prevenção à Covid-19, e contarão com as presenças da bicampeã olímpica Kayla Harrison e de Ray Cooper III, que já foram campeões na última temporada, disputada em 2019. Além disso, Rory MacDonald, Johnny Case, Olivier Aubin-Mercier e Bubba Jenkins, atletas recém-contratados pela organização americana, também estão confirmados para a disputa da temporada 2021.

A PFL, vale salientar, adota um formato de torneio. Na temporada regular, os lutadores são divididos em categorias de peso e a grande maioria realiza pelo menos duas lutas. A cada vitória, o atleta contabiliza pontos, e os oito melhores – por peso – se classificam. Ao fim, o campeão de cada classe leva US$ 1 milhão.

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade