Zé Colmeia vê encontro de estilos com americano na ‘ilha da luta’, mas reforça: ‘Sei que posso surpreender na trocação’

Publicado em 07/10/2020 por: Mateus Machado
Zé Colmeia vê encontro de estilos com americano na ‘ilha da luta’, mas reforça: ‘Sei que posso surpreender na trocação’ Rodrigo Zé Colmeia vai encarar Chris Daukaus no UFC Fight Night 179 (Foto reprodução Instagram @zecolmeiia)

publicidade

* Invicto no MMA, com oito vitórias, Rodrigo Zé Colmeia teve uma estreia considerada perfeita no Ultimate em maio, quando entrou em ação diante de Don’Tale Mayes, finalizou o adversário no segundo round com um justo mata-leão e causou boa impressão. Agora, o peso-pesado brasileiro vai para o seu próximo desafio na organização, no sábado (10), quando terá pela frente o americano Chris Daukaus no card do UFC Fight Night 179, na “ilha da luta”, em Abu Dhabi (EAU).

Tendo com maior sua maior especialidade o Jiu-Jitsu, finalizando seis oponentes em oito triunfos como profissional, o mineiro vai encarar um atleta com um estilo de luta completamente oposto ao seu. Assim como Rodrigo, Chris estreou com boa vitória no UFC, nocauteando Parker Porter no primeiro round, o que reforçou ainda mais o cartel do americano, que de seus nove resultados positivos na modalidade, saiu vencedor por nocaute em oito. Em entrevista à TATAME, ao fazer uma breve análise do duelo, Zé Colmeia reconheceu que se trata de um “encontro de estilos”, mas ressaltou que pode surpreender em pé.

“Talvez seja, sim, um duelo de estilos entre nós dois. Ele é 100% striker e eu já sou mais voltado para o chão. Isso não é novidade, tenho certeza que ele deve ter treinado muita defesa de queda, porque ele sabe que eu vou tentar jogar ele para o chão, mas eu posso surpreender ele também, porque eu tenho um nível de trocação muito bom, tenho treinado muito, evoluindo”, disse o representante da American Top Team.

Veja a entrevista completa com Rodrigo Zé Colmeia: 

– Descanso após estreia vitoriosa, auxílio a Cigano e luta 

Logo depois da minha estreia, eu tirei um tempo para descansar, porque estava há bastante tempo treinando. Depois de um mês, voltei aos treinamentos e apareceu a luta do Junior Cigano, onde ajudei ele para o duelo contra o Jairzinho Rozenstruik. Depois, o Alex Davis, meu empresário, me ofereceu essa luta e eu aceitei. Tive seis ou sete semanas de preparação, e agora estou pronto para fazer um grande combate.

– Foco em aperfeiçoar o Jiu-Jitsu e o Wrestling 

O que a gente mais precisa treinar é o que temos de melhor, nossas melhores armas. Então me dediquei mais às posições de Jiu-Jitsu com o Parrumpinha, treinei bastante também o meu Wrestling. Tenho que treinar o que a galera não costuma ter muito dentro da categoria (peso pesado), que é o Jiu-Jitsu e o Wrestling, então posso dizer que aperfeiçoei ainda mais essas duas áreas visando essa luta de sábado.

– Análise do jogo do Chris Daukaus, seu adversário

Ele é um cara rápido, trata-se de um bom striker, que tem bons golpes retos. É um bom lutador na trocação, mas existem brechas no jogo dele que eu posso aproveitar, sem dúvidas. É um atleta técnico, mas eu sou mais completo e calculista em relação a ele, considero que tenho vários caminhos para conseguir a vitória.

– Evolução desde que migrou para a American Top Team

Acredito que pude evoluir em todos os aspectos, até mesmo em ser, de fato, um atleta. Não estou menosprezando o Brasil e nem as academias do Brasil, mas eu falo que quando você vive só disso, é diferente, você vive na academia só para treinar. Evoluí em tudo, mas destaco muito a parte mental.

– Nova safra de lutadores no peso pesado do UFC

O que eu estou vendo é que vai chegar uma hora que os nomes do Top 10 vão começar a brigar muito entre si, acredito que o cinturão vai ‘girar’ muito ali na categoria. O nível técnico da galera está aumentando, a categoria está ficando ainda mais difícil, porque surgiu uma galera muito boa, até mesmo brasileiros.

– Planos para o seu futuro dentro da organização

O primeiro plano é renovar meu contrato, que atualmente é de três lutas, venci na estreia, então tenho essa luta de sábado e mais uma. Quero também chegar em breve ao Top 15, Top 10, me aproximando aos poucos ali do topo visando o meu grande sonho, que é a disputa de cinturão e, consequentemente, me tornar campeão no UFC. Vamos, aos poucos, em busca dos nossos objetivos, esse é o plano.

CARD COMPLETO:

UFC Fight Night 179
Ilha da Luta, em Abu Dhabi (EAU)
Sábado, 10 de outubro de 2020

Card principal (21h, horário de Brasília)
Peso-galo: Marlon Moraes x Cory Sandhagen
Peso-pena: Edson Barboza x Makwan Amirkhani
Peso-pesado: Ben Rothwell x Marcin Tybura
Peso-médio: Markus Maluko x Dricus du Plessis
Peso-pesado: Tom Aspinall x Alan Baudot
Peso-pena: Youssef Zalal x Ilia Topuria

Card preliminar (18h, horário de Brasília)
Peso-médio: Tom Breese x KB Bhullar
Peso-pesado: Chris Daukaus x Rodrigo Zé Colmeia
Peso-médio: Impa Kasanganay x Joaquin Buckley
Peso-galo: Ali Alqaisi x Tony Kelley
Peso-pena: Giga Chikadze x Omar Morales
Peso-galo: Tracy Cortez x Stephanie Egger
Peso-mosca: Bruno Bulldoguinho x Tagir Ulanbekov

* Por Mateus Machado

Veja também

publicidade

Mais lidas

publicidade

Newsletter

Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades em primeira mão

publicidade